quinta, 13 de dezembro de 2018


O gás boliviano em tempo de tormenta

Por Rafael Melo
Ao iniciar 2008, o Brasil depara-se com uma nova crise no cenário sul-americano. Na realidade, não trata-se de um novo problema, mas sim o segundo ato de uma longa contenda iniciada dois anos atrás. A Bolívia é atualmente o principal extrator de gás natural da região, onde mantém expressivos contratos de fornecimento anual com Argentina e Brasil. No final de 2006, a Bolívia decidiu re-estatizar a produção nacional de gás. Neste movimento, ela reduziu a participação de grupos internacionais como Petrobras, Repsol e YPF no setor produtivo nacional. Desde então, os investimentos públicos em desenvolvimento de novos campos produtores de gás natural foram reduzidos a número inferiores aos anteriormente realizados pela iniciativa privada.

A ética e a bicicleta

Por Rafael Melo
Ética é sempre um assunto polêmico. Da mesma forma que temáticas como futebol e religião despertam sentimentos, preferências e princípios particulares em cada indivíduo, a ética também o faz. Dentre as definições dadas à ética, uma diz que ela é o conjunto de valores morais e princípios de conduta que regem as ações das pessoas (físicas e jurídicas) dentro de uma comunidade. Naturalmente, os padrões de conduta são diferentes de uma comunidade para outra. Todavia, por mais diferentes que sejam os conceitos entre as comunidades, alguns conceitos éticos são comuns a todos. Atos como não matar, não roubar e não agir de má fé estão presentes na ética de todas as culturas.

Como gastar o superávit nacional

Por Rafael Melo
O editorial da revista “IstoÉ Dinheiro” de 08 de agosto trás em seu título uma interessante provocação: o que fazer com R$ 71,6 bilhões? Montante oriundo do superávit do Governo Federal no primeiro semestre de 2007, a quantia tem causado a inquietação dos políticos e uma crescente especulação da crítica. Bem, vamos aceitar o desafio; o que pode ser feito com esta verba?

Boas novas para os calçadistas

Por Rafael Melo
Iniciado em maio de 2007, o pleito brasileiro de aumentar de 20 para 35% a alíquota do imposto de importação recebe a aprovação dos demais membros do Mercosul. Aprovada inicialmente por Argentina e Paraguai, a proposta brasileira aguarda a posição uruguaia. Após uma rodada de negociações em Montevidéu, os uruguaios anunciaram nesta terça-feira, 19 de julho, a aceitação à proposta brasileira.

A infra-estrutura logística catarinense

Por Rafael Melo
Quando o assunto em pauta é comércio exterior brasileiro os mais distintos sentimentos são despertados. Enquanto alguns setores da economia nacional comemoram resultados expressivos de crescimento no mercado, outros, sufocados frente à concorrência internacional, contabilizam sucessivas perdas. Entre os indicados como fatores determinantes para a falta de competitividade de alguns setores, o chamado “apagão logístico nacional” é um dos principais alvos dos críticos.

Aumento de impostos em busca da competitividade

Por Rafael Melo
As importações de têxteis e calçados de origem chinesa foram alvo de uma nova decisão da Câmara de Comércio Exterior Brasileira (Camex). Como forma de proteger o mercado nacional da avalanche de produtos importados nessas categorias, a alíquota do impostos de importação (I.I.) nacional será reajustada de 20% para 35%, valor máximo para alíquotas de importação definidas no âmbito da OMC. A medida agrada de forma geral o setor, porém trás a tona questões ligadas a fragilidade de alguns segmentos da indústria nacional e as posições defendidas pelo país frente à Organização Mundial do Comércio (OMC).

O papel do Real no Mercosul

Por Rafael Melo
Entre avanços e retrocessos, críticas e discursos apaixonados, o Mercosul segue como importante foco da política externa brasileira. Entre os novos projetos ligados a expansão do processo de integração regional está a criação de uma moeda única para o bloco. Com manifestações de apoio por parte dos presidentes do Brasil e da Argentina, o projeto visaria aumentar a integração econômica/financeira entre os países membros.

O duelo álcool x petróleo

Por Rafael Melo
Nos últimos meses, um dos principais assuntos que envolveram o nome do Brasil no cenário internacional foi a possibilidade de expansão da produção e comercialização do álcool combustível (etanol). Fonte energética renovável e significativamente menos poluente que os atuais combustíveis derivados de petróleo, a produção de álcool combustível vem despertando o interesse de grandes grupos e de importantes países.

Globalização: querer é poder?

Por Rafael Melo
Em artigo intitulado “Vítimas do comércio global” publicado na Folha de São Paulo, em 6 de fevereiro, o presidente da Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) Benjamin Steinbruch faz uma reflexão sobre o avanço da penetração global dos produtos chineses e como estes impactam nas economias locais.

Inovação e excelência: um oceano azul de oportunidades

Por Rafael Melo
Dentre os grandes problemas enfrentados hoje pelas empresas para se manterem na ponta do mercado temos a forte competitividade dos concorrentes, a evolução constante dos produtos e consumidores cada vez mais seletivos. Estes fatores sujeitam os rumos do mercado a uma série de intempéries.

A América do Sul em 2007

Por Rafael Melo
O próximo ano se aproxima e trás consigo expectativas de intensificação dos debates políticos entre os países sul-americanos. Após um ano de eleições majoritárias por todo continente, os processos foram concluídos com a eleição do último presidente: Hugo Chávez, reeleito na Venezuela. Inicia-se, assim, a conformação dos debates e visitas oficiais para preparação do terreno político para 2007.

O indecente crescimento econômico brasileiro

Por Rafael Melo
Um tema bastante discutido nos últimos tempos é o fraco crescimento da economia brasileira. Segundo as estatísticas divulgadas pela Comissão Econômica para a América Latina (CEPAL), das Nações Unidas, o crescimento da economia nacional foi de meros 2,3% em 2005. Contudo, este número merece algumas reflexões.
Autor:

Rafael Melo

O autor é bacharel em Relações Internacionais com experiência no cenário político e econômico internacional e professor do curso de Administração - Comércio Exterior da Associação Educacional do Itajaí Mirim (ASSEVIM), na cidade de Brusque.

Colunistas

Caio César Ferrari Santângelo
Carlos Augusto Silveira
Cláudio Gustavo Daudt
Eclésio Silva
Fernando Padilha
Gregory Petter dos Santos
Joana Stelzer
Manoel Antonio dos Santos
Osvaldo Agripino de Castro Jr.
Carlos Fernando Priess
Rafael Melo
Roberto Roche
Roberto Veiga
Romeu Zarske de Mello
Odilon Fehlauer
Outros
Alexandre Gonçalves da Rocha
Celso Amorin
Bruno Tussi
Milton Lourenço
Dalva Santana
Antonio Corrêa de Lacerda
Kennedy Alencar
Roberto Rodrigues
Marcos Cintra
José Manuel Meireles
Sandro Tavares
Renan Schaefer Andrade
Ira Sobreira
José Zeferino Pedrozo
Bruno Queija
Pedra Santana Alves
Emerson Luiz Andrade
Rodrigo da Rocha Loures
Luiz Carlos Mendonça de Barros
Rogério Mori
Sebas van den Ende
Lilian Taborda
Simone Costa
Dalmir Sant’Anna
Edneia Pinto Moura
Ricardo Irineu da Silva
Paulo Araújo
Prof. Menegatti
Luiz Carlos da Silva Flores
Paulo Felicioni
Carlos Olla
Fabrício Fassina
Mauro Kahn & Pedro Nóbrega
Simone Ferreira
Rafael Silvério
Luiz Carlos Furtado Neves
Maysa Cristina Fischer
Moysés Borges Furtado Neto
Márcio de Freitas
Robson Zanetti
Marcelo Salmaso
Wagner Campos
Soeli de Oliveira
Marcos Antonio Ribeiro Andrade
Rafaela Moreira
Miguel Nozar
Edson De Paula
Rudson Borges
Tom Coelho
Sonia Jordão
Marizete Furbino
Marcelo Braga
Saul Brandalise Júnior
Helio Rebello
Mauro Lourenço Dias
Moris Kohl
Marcus Eduardo de Oliveira
Luiz Henrique da Silveira
Luiz Carlos Pauli
Marcos Luthero
Marcos Luthero
Manteli Wilen
Derly Massaud de Anunciação
Janaina Paes de Farias
Denilson Roberto Kasteller
Mariana Brizotto
Mário Lanznaster
Marcelo Murin
Orlando Oda
Vagner Miranda
Dane Avanzi
Marcos Morita
Daniel Gobbi Costa
Cassio Vieceli
Leonardo Flock
Renan Rossi Diez
Adelto Gonçalves
Marcos Antonio Zordan
© Copyright 2000-2014 Editora Bittencourt