quinta, 11 de agosto de 2022
29/06/2021

Rôgga lança mais um home club alto padrão no litoral Norte de SC


A pandemia acelerou tendências no mercado imobiliário. Apartamentos mais amplos e planejados, com home office, varandas, áreas de lazer e de convivência, espaços gourmet, integração com a natureza, foco em serviços, comodidades e mais segurança ganharam prioridade na hora da compra. 

 

De olho neste novo perfil de consumidor – que busca conforto, infraestrutura e lazer dentro do próprio condomínio, a Rôgga acaba de lançar neste mês o UpSide HomeClub, em Balneário Piçarras. Os detalhes foram apresentados ao mercado em um meeting online na noite desta quinta-feira (24/06). 

 

Com projetos assinados pelos escritórios BCMF Arquitetos e KZA Arquitetura, o UpSide terá três torres e 210 apartamentos entre 72m2 e 272,50m2, com valores entre R$ 646 mil e R$ 3 milhões. O empreendimento de alto padrão com VGV total de R$ 250 milhões conta ainda 23 lojas e praça de alimentação. 

 

O edifício de uso misto (residencial e comercial) é uma nova tendência no mercado imobiliário do país e deve movimentar a economia de Balneário Piçarras, promovendo o crescimento e o desenvolvimento da região. O início das obras está previsto para 2022, com previsão de entrega em 2025. 

 

O home club será o último empreendimento pé na areia com 19 andares a ser construído em Balneário Piçarras. De acordo com o novo Plano Diretor Municipal, os novos edifícios terão, no máximo, 14 pavimentos. 

 

Cuidado com o habitat humano 

O presidente da Rôgga, Vilson Buss, diz que o propósito da construtora é melhorar o habitat humano com o desenvolvimento de produtos cada vez melhores. “O UpSide faz parte da nossa linha de home clubs da quinta geração. Na Rôgga, a inovação nos move.” 

 

Em Balneário Piçarras, a construtora já entregou quatro empreendimentos, tem três condomínios em construção e dois lançamentos: o UpSide (apresentado neste mês) e o Pantai, lançado em dezembro de 2020. No total, são 22 torres e 2.200 unidades na cidade. 

 

De acordo com o diretor comercial da Rôgga, Thales Silva, o UpSide foi pensado para oferecer aos moradores não apenas um home club de férias.A pandemia provocou um movimento em todo o país: o êxodo urbano. Com o isolamento social, muitas famílias decidiram deixar os grandes centros para morar no campo ou na praia, longe do estresse, do congestionamento e da poluição, com todo o conforto dos empreendimentos de alto padrão. É justamente isso o que estamos oferecendo.” 

 

Localização estratégica 

Além da infraestrutura completa, a localização do UpSide é outro ponto alto: fica a apenas 65 quilômetros de Joinville (maior cidade catarinense), a cerca de uma hora e meia da capital do Estado, Florianópolis e ao lado de Penha, onde está o Beto Carrero World, o maior parque temático da América Latina. 

 

No condomínio, os moradores terão bar molhado, prainha (deck molhado), piscina infantil, solarium, lounge bar da piscina, quadra poliesportiva, piscina coberta aquecida, spa, sauna, espaço teens, game room, brinquedoteca, playground, academia, pomar e bosque, praça do fogo, petplace, bike compartilhada Rôgga, quiosques e churrasqueiras. 

 

O empreendimento conta com infraestrutura completa com portaria social - eclusa, hall social, portaria praia com acesso para banhista, box de apoio coletivo, área de apoio no bar molhado, vestiários, lavanderia coletiva, bicicletário e UpSide Mall, onde ficam as 23 lojas. 

 

 Sofisticação  

Com cores inspiradas nas falésias do Mediterrâneo, elementos diferenciados de design e mobiliário sofisticado, o UpSide traz um conceito atemporal e com muita personalidade. Sócia da KZA Arquitetura, Cristina Reinert explica que o empreendimento não é temático, mas remete ao clima de praia, com cores, texturas e relevos que lembram a areia, a brisa e o mar. 

 

“O conceito é contemporâneo, com detalhes cuidadosamente pensados. As pessoas ressignificaram a relação que têm com suas casas e, por isso, o UpSide é agradável, confortável, aconchegante e com requintes de sofisticação”, explica a arquiteta. 

 

Conexão com a natureza 

O UpSide HomeClub não encanta apenas pelos apartamentos amplos, áreas comuns do condomínio e pelo visual. Além de estar em um município com certificação internacional de balneabilidade (Certificado Bandeira Azul), o empreendimento é vizinho do Parque Natural Municipal de Balneário Piçarras. 

 

O projeto foi aprovado em agosto de 2020 e o objetivo da Prefeitura é garantir o equilíbrio entre o desenvolvimento da cidade, a conservação e a educação ambiental. Com uma área de 747 mil m2 em uma Zona de Preservação Permanente, o futuro parque terá três trilhas e um mirante panorâmico para observação da floresta nativa e da orla. 



Blog

Países do ‘BRICS’ debatem como alavancar qualificação para indústria 4.0

A qualificação de profissionais para ocupações cada vez mais tecnológicas é foco dos trabalhos de um grupo de especialistas do Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul, o chamado BRICS. A participação brasileira é liderada pela Confederação Nacional da Indústria, por meio do SENAI, a partir de indicação dos ministérios da Casa Civil e da Educação. O objetivo é criar estratégias para promover a capacitação padronizada entre os países.

“Somos reconhecidos por aliar a teoria e a prática. As discussões que estão em curso no grupo formado pelos países do BRICS vêm sendo amplamente abordadas em nossas formações. Não é uma agenda apenas de entidades privadas, ela exige políticas públicas mais robustas, com respaldo técnico e competência para guiar os debates”, destaca o diretor-regional do SENAI, Fabrizio Machado Pereira.

São oito grupos de trabalho, sendo um deles voltado para as áreas de inteligência artificial, machine learning e big data, coordenado pelo professor Valério Junior Piana, do Centro Universitário do SENAI em Chapecó. “Os grupos debatem temas como a falta de profissionais qualificados para atuar com as tecnologias da indústria 4.0 e as habilidades fundamentais para o futuro do trabalho, não apenas na indústria, mas também em outras áreas”, afirma Piana. “Estamos focando nas ocupações mais tecnológicas e o que fazer diante da falta de profissionais”, acrescenta.

Piana, que no SENAI coordena os cursos de graduação e pós-graduação em TI, cita, principalmente, a falta de profissionais qualificados na área de tecnologia para atuar com programação, automação e outros setores. O grupo de trabalho do BRICS atua com base no relatório do Fórum Econômico Mundial, que elenca habilidades que as pessoas precisam ter ou desenvolver, como criatividade, solução de problemas complexos, trabalho em equipe, entre outras, incluindo as habilidades e conhecimentos técnicos.

O grupo está elaborando uma proposta de esforço conjunto dos países para capacitar a força de trabalho. “Algumas alternativas que estamos sugerindo são a implementação de laboratórios-modelo, equipados para desenvolver as capacidades necessárias para o mundo do trabalho, e cursos de graduação e pós-graduação com currículos padronizados entre os países”, relata Piana.

O SENAI é referência mundial em qualidade de ensino. Capacita os trabalhadores da indústria por meio de educação profissional e superior, consultorias especializadas e serviços de inovação voltados ao desenvolvimento e à competitividade industrial. A instituição está presente em todos os estados brasileiros.

© Copyright 2000-2014 Editora Bittencourt