domingo, 05 de dezembro de 2021
23/04/2021

REIVAX fatura mais de R$ 60 milhões e amplia dominância no mercado de equipamentos para controle da geração de energia na América Latina


A multinacional brasileira REIVAX Automação e Controle — líder no fornecimento de equipamentos para controle da geração de energia na América Latina — registrou faturamento bruto em torno de R$ 63 milhões em 2020. O valor representa alta de 10% em receita no comparativo com o ano anterior e mantém a média de crescimento alcançada nos últimos cinco anos. Sediada em Florianópolis (SC), a REIVAX é precursora mundial na oferta de controladores integrados de tensão e velocidade e pioneira na aplicação de controladores microprocessados em sistemas de excitação e reguladores de velocidade no Brasil. Esses dispositivos são comumente usados em usinas de geração de energia elétrica para manter a frequência e a tensão de saída do gerador dentro dos limites exigidos pelo ONS (Operador Nacional do Sistema Elétrico).

O bom resultado é fruto do melhoramento constante de produtos e o desenvolvimento de novas soluções para o mercado global de energia. Além disso, somente no ano passado foram fechados mais de 70 novos contratos (46% em território nacional) com prazos de execução e monitoramento que duram ao menos até 2024. Com isso, aliado a novas frentes de negócio e lançamentos programados ainda no primeiro semestre deste ano, a empresa projeta crescer entre 10% a 15% em 2021 quando comparado ao último balanço.

“A consolidação dos nossos produtos e a frequente expansão dos negócios para novos mercados promovem este crescimento consistente. Hoje, 100% do nosso faturamento vem do nosso desenvolvimento próprio e da conexão com o ecossistema de inovação e o setor de energia como um todo. A REIVAX é genuinamente formada em pesquisa e desenvolvimento (P&D) e suas soluções são customizadas para cada cliente. Nosso diferencial é desenvolver e fabricar hardware e software únicos, garantindo confiança absoluta na marca e na tecnologia que entregamos globalmente”, afirma Fernando Amorim da Silveira, CEO da REIVAX.

Referência em sua área de atuação, a REIVAX fornece sistemas para controle da geração de energia para aproximadamente 50% das usinas hidrelétricas na América Latina e controla cerca de 65% do fornecimento das usinas hidrelétricas brasileiras (contempla 70 gigawatts (GW) do total de 110 GW de geração hídrica no país). A empresa também tem forte presença internacional e, além da sede em Santa Catarina, onde é concentrada a fabricação dos equipamentos da marca REIVAX, mantém as filiais - Reivax North America (RNA), situada em Montreal, no Canadá, e a Reivax of Switzerland (RoS), em Baden, na Suíça.

De pequena empresa para um impacto global

Posicionada como uma empresa global, a multinacional brasileira exporta atualmente para mais de 40 países em cinco continentes. Com tecnologia própria, a REIVAX desenvolve e fabrica sistemas — de controle, excitação e automação de geradores e turbinas — para o mercado de geração de energia para aplicações em usinas e pequenas centrais hidrelétricas, termelétricas, nucleares, transmissoras de energia e controle de motores.

Essa oportunidade de contribuir com um segmento que impacta diretamente no dia a dia de milhões de pessoas vem de uma posição de destaque conquistada por uma carteira de clientes que reúne gigantes do setor, como Petrobrás, Força Aérea Americana, Enel Green Power, CTG Brasil, Elera Renováveis, Isa Cteep e GE (General Electric). Também demandam os serviços da multinacional empresas do porte de Statkraft, EDP, Eletronorte, NB Power, WEG, USACE, Harbin, Furnas, Engie, ICE, CNFL, AES, EPM, CHESF, CESP, CFE, Votorantim e Tijoa.

A conquista desses clientes e a importância da companhia para o setor foi construída ao longo de pouco mais de três décadas e contrasta com o início das atividades da REIVAX, em 1987. Naquela época, a empresa começou em uma pequena sala da Incubadora Empresarial Tecnológica (IET), primeira incubadora tecnológica de Santa Catarina, que mais tarde transformou-se no Centro de Laboração de Tecnologias Avançadas (CELTA). O sonho dos sócio-fundadores era o de construir algo que pudesse contribuir para a melhoria do desempenho dinâmico do sistema elétrico brasileiro.

“Havia uma revolução tecnológica acontecendo no fim dos anos 70 (os computadores) e eles deviam ser aplicados no controle das usinas. Isso traria muitos benefícios, só que as empresas mundiais que dominavam o mercado não tinham interesse em investir primeiro no Brasil. E o nosso grupo tinha a visão do cliente, porque trabalhávamos numa empresa de energia que comprava e comissionava, operava e mantinha esses produtos. Somado a isso, as hidrelétricas são locais de forças multidisciplinares, de imensa responsabilidade, em que qualquer falha pode levar a imensas perdas. Então encontramos nisso uma oportunidade de deixar a nossa contribuição para o setor energético do Brasil e começamos a entregar nossas primeiras soluções”, recorda João Marcos Castro Soares, idealizador, co-fundador e membro do Conselho Administrativo da REIVAX.

Foi dessa forma que o grupo de engenheiros formado por João Marcos Castro Soares, Fernando Happel Pons, Paulo Marcos Pinheiro de Paiva e Nelson Zeni Junior conseguiu em um curto espaço de tempo tornar a pequena empresa em uma referência de sistemas integrados de regulação de tensão, velocidade e automação para o controle da geração de energia. Passados 34 anos, aproximadamente 168 GW de energia são distribuídos mundialmente com o uso de sistemas de controle de energia da empresa, o que representa o abastecimento energético para um contingente de pessoas superior à população brasileira, estimada hoje em mais de 200 milhões de cidadãos.

Investimentos estratégicos

Tendo a inovação como um dos focos orientadores do futuro, a REIVAX pretende fortalecer a partir deste ano os investimentos dedicados à Pesquisa e Desenvolvimento de soluções e avançar sobre mercados estratégicos. Atualmente, o investimento em pessoal de P&D corresponde a aproximadamente 15% da folha de pagamento da empresa. Além de ampliar o investimento em pessoal, a empresa pretende aumentar ainda mais o investimento em infraestrutura de P&D em 2021. Para este ano, a capacidade produtiva da REIVAX deve ser ampliada em 10% para atender as demandas contratadas. A companhia também deve empreender esforços comerciais e promover investimentos maiores nos Estados Unidos, Canadá, Europa e Ásia.



© Copyright 2000-2014 Editora Bittencourt