segunda, 15 de julho de 2024
23/10/2023 16:36

Porto de Imbituba mira na qualificação de sua infraestrutura para ampliar movimentação


No sul catarinense, o porto público de Imbituba tem na pauta cerca de R$ 230 milhões em investimentos para ampliar sua infraestrutura e aumentar a eficiência na movimentação de cargas. Nos últimos 10 anos, o complexo portuário cresceu 186% na tonelagem movimentada, ultrapassando as 7 milhões de toneladas anual, e segue com perspectiva de atração de novas operações, que podem significar um incremento em torno de 3 milhões de toneladas.

“Essa perspectiva de crescimento demanda a ampliação da infraestrutura, pois, nas condições atuais, a movimentação portuária ainda pode crescer de 10 a 15%”, explica Luís Antonio Braga Martins, diretor-presidente da SCPAR Porto de Imbituba. “É nesse contexto que nossa agenda de trabalhos mira a qualificação da frente de atracação, aproveitando o ótimo acesso ao porto, e ações para maior eficiência operacional, como automatização e novos processos, com o apoio do Governo do Estado de Santa Catarina”, complementa Braga.

O canteiro de obras já toma forma com o início da recuperação do Cais 3, um dos três atracadouros presentes no Porto. O local também será ampliado e representa um aporte em torno de R$ 95 milhões da Autoridade Portuária, previsto para ser concluído em 2025. Após as melhorias, já está na pauta o aprofundamento do berço.

Conforme explica o presidente do Porto, “esses investimentos são fundamentais para utilizar o berço em toda sua potencialidade, permitir o recebimento de navios maiores e a instalação de equipamentos de movimentação mais ágeis e modernos”.

Na outra margem da área entre berços, a derrocagem (retirada de rochas submersas) do início do Cais 1 terá seu processo licitatório relançado até final de outubro. Já o Cais 2 receberá um dolfim de amarração de navios. A Ordem de Serviço para elaboração deste projeto executivo foi emitida recentemente e a obra está projetada para ser concluída em 2024. A execução das obras nos Cais 1 e 2 permitirá o atendimento simultâneo de três navios no local, passando dos atuais 660 metros de cais linear nos dois berços para 710 metros.

A proteção do Porto pelo molhe de abrigo também será incrementada com a restauração e reforço do local. A obra estimada em R$ 100 milhões foi contemplada para receber recursos do Governo Federal dentro do Novo PAC. O projeto executivo foi encaminhado à Secretaria Nacional de Portos e Transportes Aquaviários (SNPTA) e a previsão de início dos trabalhos é para 2024.

Novos atracadouros

Além da requalificação da estrutura existente, está em fase de estudos o aproveitamento do costado do Cais 2 — área hoje sem uso — para implantação de um novo berço destinado à operação de granéis sólidos. Quando concretizada, esta melhoria vai possibilitar a atracação de navios em ambas laterais do cais.

Na área entre berços, a Autoridade Portuária busca identificar a possibilidade de criação de um novo atracadouro, transversal aos cais existentes. Para isso, emitiu este mês os Termos de Autorização para que duas empresas interessadas em doar o projeto básico de engenharia para implantação do novo cais possam iniciar seus estudos. A proposta é que o espaço seja utilizado prioritariamente para navios de granéis líquidos e carga geral.

Automação, modernização e sustentabilidade

No campo da automação tecnológica para uma operação mais eficiente, o Porto de Imbituba está investindo na implantação de um sistema de energia fotovoltaica, que contribuirá com 15% do consumo elétrico atual do Porto. Também está em curso a compra de duas novas balanças rodoviárias, aquisição de novos servidores, construção de novo data center de última geração e melhorias na automação dos gates.

Sob delegação da União para o Estado de Santa Catarina desde 2012, o Porto de Imbituba tem alcançado não só recordes operacionais como reconhecimentos de gestão responsável e sustentável. Só este ano, já soma três prêmios. Em agosto, o Ministério de Portos e Aeroportos premiou a SCPAR Porto de Imbituba como o 2º maior avanço do país no Índice de Gestão das Autoridades Portuárias (IGAP), na 4ª edição do Prêmio Portos + Brasil, considerado o “Oscar” do setor portuário. Em abril, foi a vez do Prêmio Nacional Portos e Navios de Responsabilidade Socioambiental, com o Projeto Costa Butiá, desenvolvido desde 2018 pela administração do Porto, dentro do Programa de Educação Ambiental. O projeto também será reconhecido em novembro, com o 24º Prêmio Fritz Müller, na categoria Projetos Socioambientais.




Últimas Notícias

Notícias

© Copyright 2000-2014 Editora Bittencourt