sexta, 12 de julho de 2024
30/06/2023 16:41

Navio movido a Metanol inicia sua rota pelo Brasil com operações na Cattalini Terminais Marítimos


O píer privado da Cattalini Terminais Marítimos recebeu na última semana o navio Stena Pro Patria, com um importante exemplo de sustentabilidade. Vindo de Trinidad e Tobago, o navio se destaca por utilizar o metanol como combustível, tendência que está tomando espaço na área marítima em substituição ao óleo combustível (derivado do petróleo), atualmente utilizado por 95% dos navios comerciais do mundo.

Um dos principais benefícios do metanol como combustível marítimo é seu perfil de baixas emissões. Em comparação aos combustíveis marítimos tradicionais, o metanol elimina dióxido de enxofre (SOx), óxido de nitrogênio (NOx) e reduz a emissão de material particulado em até 80%. O Stena Pro Patria faz parte de uma frota composta por seis navios da joint venture entre a Proman, produtora de Metanol, e a Stena Bulk. Essa frota é considerada “estado da arte” na utilização de metanol como combustível marítimo, deixando de emitir de cerca de 45.000 toneladas de CO2 por ano, o equivalente a emissão provocada por 9.782 carros no período.

Para Amanda Berger, Gerente de Produto da Helm do Brasil, empresa importadora do Metanol, a chegada do navio movido a metanol é motivo de comemoração. “É uma inovação no mercado brasileiro e esperamos continuar recebendo navios movidos à metanol na Cattalini. Vemos que os pilares das nossas empresas estão muito bem alinhados, principalmente sobre o tema sustentabilidade. A Cattalini nos oferece um serviço de excelência, um exemplo para terminais do Brasil”, declarou Berger.

A parceria comercial instituída entre a Helm do Brasil, Valenz (fornecedora do Metanol) e a Cattalini Terminais existe há 8 anos e, segundo Sérgio Melchert,  Diretor de Químicos da Helm, está consolidada em valores que ambos compartilham, como segurança e respeito ao meio ambiente.

“Como Paranaguá é o principal porto de operação de metanol no país, a excelência na prestação de serviços da Cattalini foi primordial para nosso sucesso. Desta forma, para marcar este momento, quando recebemos nosso primeiro navio flex não teria melhor local que a Cattalini para fazermos este evento, reforçando ainda mais nossa relação e registrando o compromisso de nossas empresas com o meio ambiente”, avaliou.

Com 186 metros de comprimento, o Stena Pro Patria atracou no berço externo do píer da Cattalini para descarregar 27,4 mil toneladas de metanol, destinadas ao Centro de Tancagem 4, onde a capacidade estática é de 200 mil m³. A Cattalini se destaca como o terminal brasileiro com maior participação na importação de metanol no país.

“Prezamos pelo pleno atendimento às demandas dos clientes, com foco na segurança e eficiência das operações. Esta postura, aliada a fortes investimentos em inovação e infraestrutura, consolida nossa credibilidade, e nos faz ser referência nos mercados nacional e internacional”, destacou Bruno Marcel Santos, gerente de logística da Cattalini Terminais. 

Com 24 membros em sua tripulação, o Stena Pro Patria partiu de Paranaguá no sábado (24), com destino aos Portos de Santos, Rio Grande e Aratu. A qualidade das operações no píer privado da Cattalini foi destacada pelo comandante do navio, Mr. Laimonis Baldins. “Estou muito feliz em poder estar aqui com a minha tripulação, neste momento, com esse navio que representa o futuro do transporte marítimo. As atividades foram todas em ordem e executadas por pessoas muito profissionais”, comentou.

Saiba mais
A indústria naval global é responsável por aproximadamente 3% de todas as emissões globais de gases de efeito estufa (1). Com cerca de 60.000  embarcações atualmente queimando óleo  combustível marítimo de alta emissão, a transição para combustíveis mais limpos vem se tornando essencial. 

As propriedades de queima limpa do metanol e as vantagens práticas como combustível o tornam uma alternativa atraente aos combustíveis marítimos tradicionais. O Metanol está amplamente disponível, é biodegradável e cada vez mais produzido por fontes renováveis. Como todos os tipos de metanol podem ser misturados, isso cria um 
caminho altamente viável para um futuro de transporte marítimo sustentável.




Últimas Notícias

Notícias

© Copyright 2000-2014 Editora Bittencourt