terça, 16 de agosto de 2022
03/12/2021 10:00

Temporada de verão aquece o mercado de cotas náuticas

Santa Catarina é um dos destinos mais procurados por turistas e navegadores

Com o verão batendo à porta, muita gente já planeja as férias, e claro, mar, praia e descanso também estão nos planos, afinal, o litoral é sempre a opção mais procurada para passar a temporada.

Mas, não é apenas da areia que a vista compensa. A bordo de embarcações, o visual também é deslumbrante. Quem olha da costa e vê as embarcações desfilando na orla, também se imagina desfrutando de bons momentos a bordo de um iate, mas pensa duas vezes ao saber dos custos, que não são poucos...

Coloque na conta o investimento em um iate, que parte de pelo menos R$ 150 mil, num modelo pequeno. Some as custas mensais com manutenção, marina, seguro, combustível. Esse gasto gira em torno de 10% a 20% do valor do barco, ou seja, quanto maior a embarcação, maior o custo para mantê-la. Desanima, não é? Mas e se você pudesse ser dono de uma embarcação e gastar bem menos por isso!

Bem-vindo ao mercado das cotas náuticas!

 

Mercado em expansão

 

Quando criou a Iate Marine em 2015, o empresário Rodrigo Vieitez não imaginava o sucesso que este mercado atingiria. A intensão era desmistificar a ideia de que mercado náutico era apenas para milionários e oferecer embarcações a preços mais atrativos. A expansão da empresa, que hoje possui três unidades em Santa Catarina e 23 embarcações, demonstra que este mercado ganhou o público e deve conquistar cada vez mais adeptos.

“Conseguimos mostrar que ter uma embarcação não era impossível, e as cotas náuticas permitem que qualquer pessoa, ou mesmo um grupo de amigos, seja responsável por uma parte do barco, podendo dividir custos com os outros cotistas e usar a embarcação quando quiser”, explicou. Na empresa os valores de cotas partem de R$ 49 mil de entrada, com parcelamento direto com a Iate Marine e os custos mensais fixos são até 85% menores.

Nesse modelo de franquia de cotas, mais comum nos Estados Unidos, a compra e a propriedade da embarcação são compartilhadas. Os custos e todas as demais despesas são divididos pelos cotistas, o que torna a compra mais acessível para cada um. Cada comprador tem direito a um número determinado de dias de uso por mês. Os grupos são formados por quatro ou oito cotistas, dependendo do tamanho da embarcação, que na Iate Marine partem de 34 pés e chegam a 80 pés, a maior embarcação para compartilhamento na América Latina.

 

Expectativa para o verão

 

Recentemente a Iate Marine participou da 24º edição do São Paulo Boat Show e percebeu que este mercado tem muito a crescer no país, principalmente no nosso litoral. Segundo um levantamento realizado pela Associação Náutica (ACATMAR/SC), entidade que fomenta a cultura do uso das águas e o desenvolvimento da economia do mar, com mais de 60% dos estaleiros presentes no Brasil, Santa Catarina é considerado o maior polo náutico do país em construção de embarcações.

No Brasil a expectativa é de que o setor fature, ainda em 2021, R$ 840 milhões, segundo a Associação Brasileira dos Construtores de Barcos e Implementos (Acobar).

Agora a empresa aposta na retomada da economia, com o controle da pandemia, como um dos fatores para alavancar os negócios. “No verão as pessoas pensam mais em praia e passeios ao ar livre e é esse público que queremos atingir, pessoas que buscam um lazer diferenciado e com toda a comodidade”, disse Rodrigo.

Com clientes em todo o país, a Iate Marine possui hoje uma estrutura ampla, com mais de 60 colaboradores e embarcações localizadas em Florianópolis, Balneário Camboriú (sede) e Porto Belo. A expectativa é expandir para Brasília e São Paulo já em 2022.

Dentre os serviços oferecidos estão tripulação exclusiva, oficina também exclusiva, limpeza diária e a gestão das embarcações. Além disso, todo o processo foi inteiramente automatizado: o arranjo pode ser esquematizado através de um aplicativo próprio, voltado para as reservas.

 

Fotos: Lucas Rodrigues / Iate Marine

 




Últimas Notícias

Notícias

© Copyright 2000-2014 Editora Bittencourt