quarta, 01 de dezembro de 2021
17/08/2020 18:38

Governo Federal finaliza obras do Complexo da Mafisa, na BR-470/SC

Trecho é um dos mais aguardados na duplicação da rodovia federal catarinense

O Governo Federal entrega, nesta segunda-feira (17), um dos trechos mais aguardados da duplicação da BR-470/SC. O Complexo da Mafisa consiste na adequação do entroncamento da rodovia federal com a SC-108, localizado no km 51+070, além de ser o principal trevo de acesso para a cidade de Blumenau, em Santa Catarina. O empreendimento acabará com os congestionamentos na região.

"A BR-470/SC é de extrema importância para a logística de Santa Catarina. É uma rodovia que atravessa mais de 20 municípios, como Blumenau, entre outros, e sua relevância se dá justamente por ser um corredor de escoamento para os portos de Itajaí e São Francisco do Sul, além de fomentar o turismo na região", afirmou o ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas.

A obra abrange a duplicação e a restauração da pista existente, a implantação de ruas laterais, a recuperação, o reforço e a reabilitação da estrada, além da construção de Obras de Arte Especiais (OAES) - quatro pontes e quatro viadutos -, entre o km 0 e o km 73,18.

As quatro pistas da BR-470/SC passam agora por baixo de duas elevações. Há uma passagem inferior na rua 1º de Janeiro e uma elevação na rua Doutor Pedro Zimmermann - ambas dão acesso ao bairro Itoupavazinha. Duas alças de acesso possibilitam aos motoristas realizarem as conversões.

O Complexo da Mafisa teve prioridade no Lote 3 da duplicação da BR-470/SC para garantir maior mobilidade e segurança ao tráfego rodoviário. A região é de grande movimentação e representatividade na economia de Santa Catarina. Nela predomina a indústria têxtil, vestuário, naval e de tecnologia. O turismo é outro ponto forte com atrações e eventos conhecidos internacionalmente, como a Oktoberfest.

Duplicação - No total, a duplicação da BR-470/SC contempla 73,18 quilômetros, divididos em 4 lotes de obras. A Autarquia já liberou ao tráfego 23 quilômetros de pistas duplicadas e restauradas, sendo 5 no lote 1 e 18 no lote 2.
Somados, os quatro contratos custaram R$ 1,2 bilhão, sem considerar os demais contratos acessórios (supervisão, gerenciamento, entre outros) necessários à execução de empreendimentos de construção rodoviária.

Desde o início das obras, o DNIT já investiu cerca de R$ 638 milhões, sendo prevista a aplicação de aproximadamente R$ 100 milhões este ano.

Além da entrega do Complexo da Mafisa no lote 3, estão previstas, ainda em 2020, a conclusão do viaduto do km 68 e do km 72, ambos no lote 4.
Lote 1 - km 0,00 ao km 18,61
Frentes de serviço concentradas no acesso à Navegantes (km 0,00 ao km 7,00), tendo 5 quilômetros de pista restaurada e duplicada. Cerca de 52% deste trecho já foi executado;
Lote 2 - km 18,61 ao km 44,87
Lote mais avançado das obras (78% executadas), tendo um total de 18 quilômetros de pista duplicada e restaurada;
Lote 3 - km 44,87 ao km 57,78
Trecho que contempla o Complexo da Mafisa. As frentes estão concentradas neste ponto, perfazendo em torno de 31% de obra executada;
Lote 4 - km 57,78 ao km 73,18
As principais frentes de serviço estão localizadas do km 67 ao km 72, com 29% executadas, sendo o trevo principal de Indaial a prioridade (altura do km 68) e com previsão de liberação ainda em 2020.

*Coordenação-Geral de Comunicação Social - DNIT

 




Últimas Notícias

Notícias

© Copyright 2000-2014 Editora Bittencourt