terça, 26 de maio de 2020
30/01/2020 11:05

Duas manobras especiais realizadas com sucesso em Itajaí

As operações ocorreram na terça-feira (27) e na quinta-feira (30), com os navio MSC Arica e MSC Azov, de 299,18 e 299,9 metros

A comunidade portuária comemora o sucesso de mais duas manobras especiais na nova bacia de evoluções do Complexo Portuário do Itajaí, realizadas na terça-feira, 27, e na quinta, 30. “Ficou evidenciado que as manobras são seguras e viáveis. Vamos autorizar todas as próximas operações especiais em datas que serão definidas mediante a disponibilidade das embarcações e a programação da Autoridade Portuária”, diz o delegado da Capitania dos Portos de Itajaí, Capitão de Fragata Thales da Silva Barroso Alves. Serão mais três manobras especiais de saída das embarcações e depois a Delegacia da Capitania dos Portos de Itajaí vai definir um cronograma para as manobras especiais de entrada.

Na primeira operação navio MSC Arica, com 299,18 metros de comprimento e 48,20 metros de boca, desatracou por volta das 9h do Berço 2 da Portonave – Terminal Portuário Navegantes, foi conduzido de ré por quatro rebocadores até a nova bacia de manobras [no Saco da Fazenda, próximo à Marina Itajaí], fez o giro de 180 graus e zarpou rumo ao Porto de Paranaguá, aproximadamente 1h40min após o início da operação, realizada pelos práticos Wallace Siqueira Bezerra e Paulo Roberto da Silva Luiz, da Itajaí Pilots.

Na operação de quinta-feira o navio MSC Azov [de 299,9 metros de comprimento por 48,2 metros de boca] desatracou do berço 2 da Portonave por volta das 10h e foi manobrado nos mesmos moldes da operação anterior, partindo para o Porto de Santos por volta das 11h35min. Esta manobra ficou a cargo dos práticos Paulo de Figueiredo Ferraz Junior e Marcio Fonseca Santiago. A próxima manobra especial será realizada na próxima semana, em data que poderá ser divulgada a qualquer momento pela Autoridade Marítima, desde que haja tempo hábil para se montar os protocolos de segurança.

“A Marinha quer ter total garantia da segurança nessas operações, que são inéditas no Brasil, Por isso a realização de seis manobras especiais de saída e mais quantas forem necessárias de entrada. Nossos práticos precisam estar muito bem treinados para quando iniciarem as operações definitiva na nova bacia”, diz o superintendente do Porto de Itajaí, Marcelo Werner Salles. No entanto, Salles comemora o sucesso das três primeiras operações e diz ter plena convicção de que a nova baca de evoluções é uma alternativa viável e de total segurança.

Segunda etapa das obras

A primeira etapa das obras dos novos acessos aquaviários ao Complexo Portuário do Itajaí concluída no segundo semestre do ano passado e agora na fase de testes vai possibilitar ao Porto Público e demais terminais que compõem o Complexo operarem navios com até 336 metros de comprimento. No entanto, navios com 366 metros já começam a entrar na costa brasileira.

Para adequar as obras recém concluídas a esses mega navios [com até 366 metros, podendo chegar perto dos 400 metros, dependendo da execução do projeto] demanda investimentos de R$ 230 milhões, inicialmente previstos para virem de Brasília. Só que em mais de uma ocasião o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, disseque o governo não tem esses recursos. A prioridade para a União é a conclusão das obrasde duplicação da BR 470. 

Na tentativa de buscar esses recursos a Federação das Indústrias de Santa Catarina (Fiesc) resolveu abraçar a causa. A primeira ação foi o agendamento de uma reunião, em 12 de fevereiro, para tratar sobre a importância da segunda etapa da bacia de evolução para o estado, e estratégias para garantir o recurso. Egídio Martorano, gerente de assuntos de transporte, logística e sustentabilidade da Fiesc, lembra que o Complexo Portuário do Itajaí-Açu não é apenas o maior de Santa Catarina, mas uma das maiores estruturas da América Latina.




Últimas Notícias

Notícias

© Copyright 2000-2014 Editora Bittencourt