segunda, 25 de maio de 2020
30/01/2020 06:15

Eldorado Brasil aumenta transporte de celulose por trem para tirar 25 mil caminhões por ano das ruas


A Eldorado Brasil lançou uma nova rota de transporte de celulose de sua fábrica até o porto de Santos, no litoral paulista em parceria com a CMA-CGM. Com o uso de contêineres, a carga que antes era levada de caminhão até o cais portuário passa a ser transportada por trem a partir de Jundiaí, no interior de São Paulo. Essa medida vai eliminar cerca de 25 mil viagens de caminhão a cada ano das rodovias e das ruas.

Com a nova operação ferroviária, a carga de celulose que sai da fábrica da Eldorado Brasil, em Três Lagoas (MS), é levada de caminhão até a cidade de Jundiaí. Lá ela é transferida para contêineres nos vagões dos trens. A carga, então, segue pelos trilhos até os terminais na beira do cais, de onde é embarcada em navios para exportação.

Com isso, não é mais necessário utilizar caminhões para levar a carga entre Jundiaí e Santos, aliviando o tráfego nas ruas dessas cidades e nas rodovias do caminho. Outra vantagem é evitar viagens dos contêineres vazios e cheios dentro da cidade litorânea, já que as distâncias entre o terminal de estufagem e o terminal na beira do cais exigem o uso de caminhões pelas ruas santistas. Com o trem, os contêineres são levados diretamente para o terminal onde atraca o navio.

Além do benefício ambiental e de redução do trânsito, a nova rota gera empregos nas duas cidades. Quando a carga chega a Jundiaí, funcionários da Contrail, do terminal ferroviário, participam da transferência da carga para os trens. Em Santos também há pessoas contratadas para tocar a operação de embarque e desembarque do contêiner de celulose nas embarcações. Vale lembrar ainda que a quantidade de celulose exportada pela Eldorado Brasil não consegue ser atendida apenas pela via férrea, portanto continuam ocorrendo entregas de caminhão no terminal da Eldorado/Rishis, na região do Outeirinhos, em Santos, garantidas por uma equipe de mais de 80 pessoas, entre vinculados e avulsos. Com informações da Portos e Navios




Últimas Notícias

Notícias

© Copyright 2000-2014 Editora Bittencourt