domingo, 24 de maio de 2020
14/01/2020 08:00

Para 71% dos empresários brasileiros, 2020 será positivo para os negócios, indica pesquisa da Deloitte Brasil

Pequenos negócios devem ser os protagonistas da retomada econômica em 2020, segundo Reginaldo Stocco, CEO da vhsys

Se 2019 foi um ano de expectativa pela melhora da economia, a promessa de retomada ficou mesmo para 2020, com uma previsão de 2,32% de crescimento do PIB, conforme o Ministério da Economia. Portanto, esse ano será um período em que empresários estarão dispostos a executar ações estratégicas de maior risco. É o que aponta o relatório da auditoria Deloitte Brasil. De acordo com o levantamento, 2020 será positivo para 71% dos empresários, não terá mudanças importantes para 23% e será negativo para apenas 5%. A retomada dos investimentos e o aumento dos empregos, de acordo com as respostas da pesquisa, confirmam a expectativa positiva de 7 em cada 10 empresas.

Segundo Reginaldo Stocco, CEO da vhsys, a empresa especializada em gestão empresarial está confiante na retomada real dos negócios e não apenas em um ensaio, como ocorreu no ano passado. Com mais de 150 vagas abertas para o ano, a vhsys estima crescer 100% em faturamento, em relação a 2019.

O comportamento dos clientes da empresa, que atende micro e pequenos empresários, também aponta para um ano melhor. "O novo ano será de crescimento gradual e sustentável, depois de uma recessão histórica e uma retomada lenta. E essa recuperação deve ser puxada, principalmente, pelas micro e pequenas empresas.  Juros mais baixos, queda da inflação, expansão do crédito. Tudo isso abre caminho para o aumento da produtividade e crescimento nos próximos anos", analisa.

Ainda de acordo com o relatório da Deloitte, 76% dos empresários da Região Sul estão mais otimistas. As Regiões Nordeste e Sul, com os percentuais de otimismo mais elevados em relação às demais, indicam que investir em novas tecnologias e qualificar profissionais são prioridades para que as empresas sigam competitivas em um cenário disruptivo.

As empresas da Região Sul apresentam maior disposição para expansão dos negócios, além de se apresentarem mais otimistas para as contratações, em comparação com as demais regiões. Se o cenário econômico em 2020 melhorar, 61% delas aumentarão o quadro de funcionários.

Pequenos negócios protagonistas

Já de acordo com dados do Sebrae, 59% dos pequenos empresários estão extremamente otimistas e acreditam na melhora do cenário econômico e 58% pretendem investir em negócios nos próximos 12 meses.

Segundo o levantamento, 62% acreditam que terão aumento no faturamento e 93% confiam na capacidade de o governo atual melhorar as condições das empresas. O levantamento também registrou otimismo recorde na série histórica entre os que pretendem empregar nos próximos meses (35%). E apontou que seis em cada 10 empresários (58%) têm planos de investir no próprio negócio em 12 meses.

"Há tempos os pequenos negócios vêm salvando a economia brasileira, pois são os que mais têm gerado emprego e renda. Quem se planejou durante o ano passado ou durante a recessão vai poder botar esse planos em prática. É preciso aproveitar o cenário atual, enxergar, criar diferenciais e avaliar todas essas perspectivas”, aconselha.

Otimismo, mas com precaução

Para Stocco, embora 2020 apareça como um cenário propício, todos os investimentos devem ser feitos com planejamento. “Não temos como saber com certeza como será o cenário econômico, pois o Brasil é um país instável. Planejar é a chave do sucesso para identificar oportunidades. O pequeno empresário precisa estudar seu mercado-alvo, buscar referências sobre o desempenho econômico nos últimos anos, o comportamento durante as crises e as projeções para o futuro”, diz.




Últimas Notícias

Notícias

© Copyright 2000-2014 Editora Bittencourt