segunda, 25 de maio de 2020
09/01/2020 10:06

Confirmado: Petrobras fechará as portas em Aracaju

De acordo com a Petrobrás, a empresa informou o seu posicionamento aos empregados em reuniões realizadas ao longo do mês de novembro pela unidade local.

De forma trágica para os sergipanos, o Ministério de Minas e Energia assumiu oficialmente que está fechando a sede da Petrobras em Aracaju. Em resposta ao requerimento 1621/2019 do deputado federal Fábio Henrique (PDT/SE), do dia 12 de novembro, o ministro Bento Albuquerque e o presidente da Petrobrás – Roberto Castello Branco – assumiram que estão fechando algumas bases no Brasil, entre elas da Rua do Acre em Aracaju, para promover economia à empresa e reduzir a dívida, que hoje é de R$ 90 bilhões de dólares.

A Diretoria Executiva de Assuntos Corporativos da Petrobras informou que: “quanto à suposta saída da Sede Administrativa da PETROBRAS do Estado de Sergipe e encerramento de operações da Companhia neste mesmo Estado reitera-se que, no momento, tal tema não está em discussão. Quanto ao estabelecimento situado em Aracaju/SE, na Rua Acre, as atividades ali exercidas estão sendo transferidas, de forma escalonada, até março de 2020, para a Base de Carmópolis”, afirmou o gerente de Demandas André Luis Fares Francis.

De acordo com a Petrobrás, a empresa informou o seu posicionamento aos empregados em reuniões realizadas ao longo do mês de novembro pela unidade local. A PETROBRAS informou, ainda, que vem implementando esforços para a redução de seu endividamento, hoje em torno de R$ 90 Bilhões de dólares, e a gestão predial é uma das estratégias que a Empresa tem adotado. “A otimização de custos em processos e atividades, um esforço das equipes de trabalho que atendem diretamente aquela unidade em um único ambiente, para melhor alcance de resultados, buscando maior eficiência, racionalidade e sustentabilidade do negócio”, detalhou o documento que também é subscrito pelo Ministério de Minas e Energia.

A Estatal alegou que, em 2015, a Empresa ocupava 72 imóveis no Brasil, e em 2019 esse número foi reduzido para 38. De acordo com ela, essa redução gerou uma redução das despesas em aproximadamente R$ 700 milhões para a Petrobras, além da maior integração das equipes em espaços únicos. Fábio Henrique enfatizou que a economia de Sergipe será abalada e várias empresas sergipanas perderão com esse fechamento.

O deputado Fábio Henrique ressaltou que Sergipe é um estado produtor de petróleo e com grandes descobertas de reserva de gás natural. O deputado sergipano não concorda com a redução das atividades em Sergipe, já que o Estado é considerado referência em exploração e produção de petróleo em águas profundas e ultraprofundas. “Se for pensar em privatização, sou contra e ressalto a importância que a Petrobrás tem na história de Sergipe e do nosso país”, declarou o pedetista.

Diante da resposta oficial de fechamento da Petrobrás em Aracaju, o deputado federal Fábio Henrique conversará com o coordenador da bancada federal de Sergipe para que haja uma ação coletiva de toda bancada. “Espero, sobretudo, contar com o apoio de todos os colegas congressistas, principalmente daqueles que compõem a base governista, para impedir que a Petrobrás feche às portas”, finalizou o deputado. Com informações do NE Notícias

 
 
 




Últimas Notícias

Notícias

© Copyright 2000-2014 Editora Bittencourt