sexta, 22 de novembro de 2019
04/11/2019 10:01

Mais sete frigoríficos de SC habilitados a exportar para a China

Essa nova abertura chinesa permitirá exportar cerca de 7 mil toneladas por mês de subprodutos

As autoridades sanitárias da China habilitaram sete plantas frigoríficas catarinenses a exportar para o país. O anúncio foi feito pela própria ministra da Agricultura Tereza Cristina em sua conta pessoal do Twitter. Das sete plantas de miúdos de suínos habilitadas, duas são da Seara (JBS), duas da Aurora Alimentos, duas da Pamplona Alimentos e uma unidade é da BRF. Plantas que já exportam carne suína ao país asiático. Os negócios tiveram início ainda em novembro e a decisão da China é mais um reconhecimento ao status sanitário diferenciado do Estado, que é o único do Brasil livre de aftosa sem vacinação. Inclusive, é esse status que faz com que o Estado lidere as exportações de carne suína no país.

As projeções de agroindústrias são de que essa nova abertura chinesa permitirá exportar cerca de 7 mil toneladas por mês de subprodutos, que somarão faturamento mensal da ordem de US$ 15 milhões, ou US$ 180 milhões por ano. “A notícia é alvissareira e nos deixa extremamente satisfeitos pela perspectiva de incremento do valor de exportação e de mais uma conquista do setor de carnes”, diz a presidente da Câmara de Comércio Exterior da Federação das Indústrias de Santa Catarina (Fiesc), Maria Tereza Bustamante.

Para o gerente executivo do Sindicato das Indústrias de Carne e Derivados do Estado (Sindicarnes-SC), Jorge de Lima, trata-se de mais uma oportunidade para ampliar as exportações de carne suína que estão em alta desde o começo do ano. “A China tem uma necessidade especial de importação porque teve que reduzir em 40% a sua produção, que é a maior do mundo, porque está enfrentando surto de peste suína africana e também de peste suína clássica”, acrescenta Lima.

De acordo com fontes do Ministério da Agricultura brasileiro, o órgão enviou uma carta para o GACC [órgão chinês responsável pelas questões sanitárias e fitossanitárias] em 21 de outubro pedindo a habilitação das sete unidades e a resposta chegou em 4 de novembro. Já a titular da pasta afirma que a habilitação é consequência da missão recente do governo federal à Ásia. “A habilitação é resultado das tratativas realizadas durante viagem do presidente Jair Bolsonaro ao país asiático no fim de outubro”, acrescenta Tereza Cristina.




Últimas Notícias

Notícias

© Copyright 2000-2014 Editora Bittencourt