quinta, 17 de outubro de 2019
17/09/2019 10:14

Três produtos catarinenses estão mais perto de receber Indicação Geográfica

A delimitação geográfica é feita de acordo com alguns critérios ambientais (altitude, clima etc) e também leva em conta a notoriedade do produto naquela região

Três produtos catarinenses estão mais próximos de receber Indicações Geográficas (IG). Nesta terça-feira, 17, a Epagri entrega os documentos de delimitação geográfica para a obtenção da IG do Mel de Melato da Bracatinga, dos Vinhos de Altitude de Santa Catarina e da Maçã Fuji da Região de São Joaquim. A cerimônia será no auditório da Epagri, em Florianópolis, a partir das 15h30.

A delimitação geográfica é feita de acordo com alguns critérios ambientais (altitude, clima etc) e também leva em conta a notoriedade do produto naquela região. A esse documento, juntam-se outros, como levantamento histórico de cada produto, que vão formar um dossiê a ser encaminhado para análise do INPI. A Epagri atua como animadora dos processos de obtenção das IGs em Santa Catarina e é a responsável por fazer as delimitações geográficas, entre outras ações. 

A Indicação Geográfica é uma certificação, concedida pelo Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI), que garante que um produto só tem aquelas propriedades porque sua produção é influenciada por características ambientais ou culturais de uma determinada região. Santa Catarina já tem as IGs Vales da Uva Goethe e Banana Corupá. As IGs do Queijo Artesanal Serrano e a da Erva-mate do Planalto Norte Catarinense estão em avaliação no INPI.

Participam de cerimônia o superintendente do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) em Santa Catarina, Túlio Tavares Santos, o diretor de Ciência, Tecnologia e Inovação da Epagri, Vagner Miranda Portes e o secretário adjunto da Agricultura, da Pesca e do Desenvolvimento Rural, Ricardo Miotto, entre outras autoridades. O evento contará ainda com representantes do Sebrae e das Associações proponentes das IGs.

Mel de Melato da Bracatinga

O Mel de Melato da Bracatinga é um tipo diferente de mel. Ele não é produzido pelas abelhas a partir do pólen das flores, mas sim a partir de um resíduo alimentar da cochonilha, que é um inseto que se aloja no caule da bracatinga, árvore nativa da Mata Atlântica. Ele é mais escuro, tem menos açúcares e mais minerais que o similar produzido a partir do pólen. Estudos científicos também apontam propriedades medicinais no produto. Em Santa Catarina, 95% da produção desse mel é exportada. A Alemanha é o principal país comprador.

A região delimitada pelos pesquisadores da Epagri para essa IG compreende 111 municípios catarinenses, que representam 45% da área do Estado. A IG vai se estender por 8,5% do território do Paraná, na região do Vale do Iguaçu, e vai alcançar ainda 7% da área do Rio Grande Sul, na região conhecida como Campos de Cima da Serra.

Entres os critérios definidos para delimitar a IG do mel de Melato da Bracatinga estão a ocorrência da bracatinga com cochonilha, a altitude superior a 700 metros, o clima, o uso e cobertura do solo, entre outros. A Federação das Associações de Apicultores e Meliponicultores de SC é a entidade proponente da IG.

Maçã Fuji da Região de São Joaquim

Além de São Joaquim, os municípios de Bom Jardim da Serra, Painel, Urubici e Urupema estão dentro da área delimitada pelos pesquisadores da Epagri para compor a IG da Maçã Fuji da Região de São Joaquim. Esses municípios produzem uma Fuji que se destaca por ser mais vermelha, maior e com formato perfeito. Isso porque eles acumulam mais horas de frio, o que deixa o desenvolvimento da fruta mais lento e uniforme.

Além das horas de frio, serviram como critérios para delimitação dessa IG a altitude superior a 1.100 metros e outras características ambientais que unificam os municípios compreendidos. A IG é uma demanda da Associação dos Produtores de Maçã e Pera de SC.

Vinhos de Altitude

Para a IG dos Vinhos de Altitude de Santa Catarina a Epagri delimitou 23,2% da área do Estado, onde a altitude é superior a 900 metros. São 41 propriedades, em 32 municípios. Além das caraterísticas ambientais, essa IG leva em conta sobretudo a notoriedade das regiões produtoras.

Desde 2008 a Epagri conta com um cadastro das vinícolas produtoras de vinhos de altitude no Estado. Esse levantamento foi atualizado em 2013 e novamente em 2019 para apoiar a delimitação da IG, que foi solicitada pela Vinho de Altitude – Produtores e Associados.

Workshop

Nos dias 30 e 31 de outubro a Epagri promove o Workshop Catarinense de Indicação Geográfica (IG), na sede da Assembleia Legislativa, em Florianópolis. O evento tem entrada gratuita e vai contar com uma mostra dos produtos que já contam ou que estão em processo de obtenção de IG.




Últimas Notícias

Notícias

© Copyright 2000-2014 Editora Bittencourt