quinta, 17 de outubro de 2019
17/09/2019 08:43

SC participa de encontro sobre a importância da construção civil na economia do país

Vice-presidente do SINDUSCON Joinville, empresário Marco Antonio Corsini, representou o Estado em evento da Câmara Brasileira da Indústria da Construção

A indústria da construção civil brasileira esteve reunida em Brasília na quarta-feira, dia 11 de setembro, para discutir “A construção na condução da retomada do emprego”. Santa Catarina foi representada pelo empresário Marco Antonio Corsini, vice-presidente do Sindicato da Indústria da Construção Civil de Joinville (SINDUSCON) e vice-presidente da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC) para a região Sul.

O encontro promovido pela CBIC reuniu empresários, entidades da construção civil e do setor imobiliário de todo o país, deputados federais e senadores. Também participaram do debate o presidente da Caixa, Pedro Guimarães, e o presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Robson Andrade.

O objetivo do evento foi discutir a importância da indústria da construção na retomada do crescimento econômico nacional, na geração de empregos e no crescimento do Produto Interno Bruto (PIB). Entre os destaques, caminhos para estimular a criação de 936 mil empregos no mercado imobiliário, em concessões municipais, saneamento e retomada de obras de infraestrutura.

De acordo com o empresário Marco Antonio Corsini, uma das principais preocupações da indústria da construção civil é a geração de empregos. “A decisão da CBIC em aproximar o setor produtivo e o governo federal foi justamente para buscar alternativas que visem à geração de empregos imediatos. Criando novas vagas, voltando a contratar e contribuindo com a redução dos índices de desemprego, certamente vamos acelerar o aquecimento da economia e a geração de renda”, diz.

Outros temas abordados durante o evento em Brasília foram a Reforma Tributária, as parcerias público-privadas (PPPs) e concessões, obras paralisadas, atraso nos pagamentos do programa Minha Casa Minha Vida (MCMV), saques do FGTS e o programa Habitação de Interesse Social (HIS), voltado à construção de unidades habitacionais para famílias de baixa renda.

O presidente da CBIC, José Carlos Martins, destacou dados da Fundação Getúlio Vargas (FGV) que revelam que a cada R$ 1 milhão de investimentos na construção civil são gerados, direta e indiretamente, 11,4 empregos e renda de R$ 772 mil. Ressaltou ainda que, com o atraso do programa Minha Casa Minha Vida, 200 mil empregos estão sendo impactados.

De acordo com o presidente da Caixa, Pedro Guimarães, os pagamentos do programa MCMV começaram a ser normalizados ainda na quarta-feira, dia 11. Já o presidente da CNI, Robson Andrade, reforçou que é preciso motivar a construção civil, já que o setor tem capacidade para gerar emprego de forma rápida e efetiva. Também falou sobre a necessidade de buscar alternativas para financiar o setor, sugerindo a criação e um fundo para a construção civil. As informações são da Agência CBIC.

 



Últimas Notícias

Notícias

© Copyright 2000-2014 Editora Bittencourt