terça, 19 de novembro de 2019
10/09/2019 10:00

Estudantes catarinenses garantem duas medalhas para o Brasil na WorldSkills, maior competição de profissões técnicas do mundo

Raissa Marcon, 24 anos, de Tubarão, e Jean Novak, 22 anos, de Tijucas, levaram o bronze. Outros cinco estudantes do estado receberam certificados de excelência por obterem nota acima da média na modalidade disputada

Das 13 medalhas conquistadas pelo Brasil na WorldSkills 2019, competição conhecida como o mundial das profissões, duas foram obtidas por estudantes de Santa Catarina. Raissa Marcon, 24 anos, natural de Tubarão, e Jean Novak, 22 anos, de Tijucas, levaram o bronze no torneio.

Formada em Tecnologias em Redes pelo SENAI de Florianópolis, Raissa subiu ao pódio na modalidade de Segurança Cibernética. “Para mim, o bronze tem gosto de ouro. Fiquei muito emocionada ao saber que conseguimos vencer países como a Índia, que poderiam se destacar na área de ‘Cyber Security’. Então, é sensacional”, comemorou Raissa.

Já Jean Novak, medalhista na mesma categoria, conta que iniciou a aprendizagem industrial em Manutenção de Computadores no SENAI de Tijucas, o que despertou o seu interesse em participar do mundial de profissões. Ele afirma que a conquista este ano deu mais ânimo a ele para seguir carreira na empresa de tecnologia onde trabalha. “Foi o melhor momento da minha vida, principalmente quando apareceu a bandeira do Brasil no painel”, ressaltou.

A conquista das medalhas pelos estudantes brasileiros repercutiu entre parlamentares no Congresso Nacional. O deputado federal Rodrigo Coelho (PSB-SC) afirmou que a educação técnica profissional é o caminho mais curto para inserção de jovens no mercado de trabalho.

“Ganhar esse prêmio da WorldSkills mostra que estamos no caminho certo, e acho, inclusive, que esse é o caminho para ajudar no nosso crescimento econômico e na geração de empregos”, opinou.

Desempenho brasileiro

Além dos medalhistas Raissa e Jean, outros cinco estudantes de Santa Catarina receberam certificados de excelência, dados aos competidores que ficaram acima da nota média na modalidade disputada. Allan Scholze, de São Bento do Sul, na categoria Fresagem CNC; Gabriel Ribeiro, de Blumenau, em Soluções de Software para Negócios; Gabriel Hoffmann, de Palhoça, em Manutenção de Aeronaves; Isadora Pereira, de Tubarão, na modalidade de Estética e Bem Estar; e Eduardo Hermann, de Jaraguá do Sul, em Administração de Sistemas de Redes TI, foram reconhecidos pelo desempenho destacado na competição.

A delegação brasileira tem se estabelecido entre as equipes mais vitoriosas da WorldSkills. Foi a campeã na edição ocorrida em São Paulo, em 2015. Na edição de Abu Dhabi, nos Emirados Árabes Unidos, em 2017, alcançou o segundo lugar. Em 2019, além das 13 medalhas, a delegação tupiniquim garantiu, ainda, 28 certificados de excelência, em 28 ocupações técnicas profissionais.

Na edição deste ano, 1.354 jovens de 63 países participaram do torneio. O Brasil ficou em terceiro lugar na classificação geral. A China, que sediará a próxima WorldSkills, em 2021, ficou em primeiro lugar. A Rússia, anfitriã do torneio, conquistou a segunda posição.




Últimas Notícias

Notícias

© Copyright 2000-2014 Editora Bittencourt