domingo, 23 de fevereiro de 2020
06/09/2019 09:30

TCP regista dois novos recordes em agosto

Terminal registrou aumento no número de trens que acessam a área alfandegada e no número de contêineres cheios movimentados

A TCP – empresa que administra o Terminal de Contêineres de Paranaguá, bateu dois novos recordes no mês de agosto, contabilizando 82 trens operados - número que supera o recorde de julho passado de 80 trens – e a movimentação de 6.600 unidades de contêineres cheios, contra 6.295 unidades registrados em julho.

 

Os trens que acessam o Terminal fazem a ligação das bases intermodais, localizadas em cidades como Cambé, Cascavel e Ponta Grossa. Eles são utilizados, principalmente, para o transporte de cargas refrigeradas e madeira. “A TCP é um dos únicos terminais brasileiros que conta com ferrovia dentro da área alfandegada, o que é muito importante competitivamente, já que torna o frete mais barato. Isso tem contribuído para que o Terminal consiga converter cargas de outros portos”, explica Alexandre Rubio, diretor Comercial do Terminal.

 

O executivo explica que o aumento de demanda já estava previsto para o período de julho a setembro, mas também se deve a um realinhamento operacional, com a criação de um sistema de janela para os trens, similar aos já utilizados para os navios.

 

O Terminal também mudou os equipamentos que operam na ferrovia, fazendo com que o tempo operacional reduzisse em quase 20%. “O sistema de janelas foi pensando em parceria com a Brado e a Rumo para permitir que os trens cheguem a cada seis horas ao Terminal, sempre operando em período cheio. Chegando no início do período se evita, por exemplo, que o trem chegue a Paranaguá na troca de turnos”, esclarece.

 

Alexandre Rubio enfatiza que a operação pela ferrovia se torna um importante diferencial na negociação com importadores e exportadores. “Na comparação com o frete rodoviário, o frete ferroviário é, em média, até 15% mais barato. Além da redução dos custos logísticos, nós também oferecemos o serviço de gestão de fluxo, controlando toda a cadeia do cliente, garantindo que todas as cargas cheguem dentro do prazo estabelecido”, diz.

 

No mês de agosto, por exemplo, a TCP não registrou nenhum atraso de carga pelo modal. “Isso é uma consequência de uma gestão bem feita, controlando todos os contêineres desde a base, no interior, até a chegada ao Porto”.

 

Recorde de cheios

O número de contêineres cheios é a melhor marca do Terminal no ano, fazendo 6.600 unidades, contra 6.295 unidades (julho/2019). “Foi um mês bastante difícil, com o tempo fechado e muita neblina em Paranaguá. Mesmo assim, o time comercial está fazendo um trabalho muito bom, ganhando participação de mercado, com crescimento de 15% no volume de cais, ano contra ano”, explica Rubio.

 

Segundo o executivo, a TCP realizou mudanças na operação logística, aumentando a flexibilidade oferecida para os armadores. “O tempo de um navio dentro da janela e fora de janela em Paranaguá é praticamente o mesmo, o que mostra que o Terminal está pronto para receber o navio a qualquer momento. Essa flexibilidade é consequência da liberação do novo berço e deve aumentar ainda mais com a entrada em operação dos dois novos portêineres, prevista para setembro”, finaliza.

 

Sobre a TCP

A TCP é a empresa que administra o Terminal de Contêineres de Paranaguá - um dos maiores terminais de contêineres da América do Sul - e a empresa de operações logísticos TCP Log, que oferece serviços de integração da cadeia logística para cargas localizadas no Sul e Sudeste do Brasil.

 

Responsável pelo maior investimento do setor portuário Brasil na atualidade, onde estão sendo aplicados mais de R$ 550 milhões nas obras de ampliação da capacidade de movimentação do terminal dos atuais 1,5 milhão de TEUs/ano para 2,5 milhões de TEUs/ano, a TCP está se preparando para atender a demanda de mercado brasileiro pelos próximos 30 anos.

 

Desde março de 2018, a TCP integra o portfólio da China Merchants Port Holding Company (CMPort), o maior e mais competitivo desenvolvedor, investidor e operador de portos públicos da China. Atualmente, as operações e investimentos da empresa se estendem pelas áreas costeiras em Hong Kong, Taiwan, Shenzhen, Ningbo, Shanghai, Qingdao, Tianjin, Dailian, Zhangzhou, Zhanjiang e Shantou. A empresa também vem ampliando sua presença no Sul da Ásia, na África, no Mediterrâneo e na Austrália.

 

Em março de 2018, o portfólio global de portos da CMPort abrangia 6 continentes, 17 países e regiões e 34 portos. Em 2017 a CMPort movimentou 100 milhões de TEUs.




Últimas Notícias

Notícias

© Copyright 2000-2014 Editora Bittencourt