domingo, 26 de maio de 2019
14/03/2019 15:41

Advogados da região de Itajaí repudiam a mudança de endereço da Justiça Federal

A preocupação dos advogados é grande também com a dificuldade de acesso dos clientes, que muitas vezes não têm recursos financeiros para chegar até o local e precisam pegar mais de um transporte, ou então, pagar pelo estacionamento

Os advogados de Itajaí  e região repudiaram a mudança de endereço da Justiça Federal. Essa conclusão foi obtida nesta quarta-feira, 13 de março, durante audiência pública promovida na sede da OAB da cidade. Profissionais da região estiveram reunidos e relataram os problemas mais comuns da rotina de trabalho na Justiça Federal. Os mais graves são relacionados a falta de acessibilidade, principalmente para os cadeirantes. Há inúmeros casos onde a cadeira de rodas não passou pela porta de perícia e o usuário teve que ser colocado em outra cadeira. Outro obstáculo é a dificuldade do uso da maca, pela estrutura pequena da sala.
 
A preocupação dos advogados é grande também com a dificuldade de acesso dos clientes, que muitas vezes não têm recursos financeiros para chegar até o local e precisam pegar mais de um transporte, ou então, pagar pelo estacionamento. 
Esses são apenas alguns dos pontos trazidos para a reunião. E a dificuldade pode aumentar com a possibilidade de não haver mais a circulação de ônibus intermunicipais pelo bairro, com a implantação de um Consórcio em estudo. 
 
Outra questão apontada é o constrangimento que os usuários têm ao entrar num hotel, para ter acesso à justiça. Muitos clientes acabam coagidos e intimidados pela apresentação física do local. Na maioria das vezes, são pessoas que buscam o direito ao benefício do INSS ( auxílio doença, pensão, aposentadoria).  Por tudo isso, ao final da audiência pública, foi um consenso entre os advogados que a Justiça Federal está num local inapropriado e assim, não cumpre com o seu papel social. 
 
Uma comissão entre os presidentes das comissões de direito previdenciário de seis subseções: Itajaí, Navegantes, Balneário Piçarras, Balneário Camboriú, Camboriú e Itapema, para dar encaminhamentos em busca de solução para esses transtornos. 
 
Reunião com a Justiça Federal 
Ainda na quarta-feira, no período da tarde, representantes da Justiça Federal estiveram reunidos com a Diretoria da Subseção e explicaram que o critério para a mudança foi econômico. Reforçaram também que outros locais foram analisados, porém, não foram compatíveis.



Últimas Notícias

Notícias

© Copyright 2000-2014 Editora Bittencourt