quarta, 16 de outubro de 2019
01/11/2018 15:53

Porto de Itajaí amplia sua retroárea em 35 mil m²

Com esses recursos o porto pode investir na ampliação das retroáreas e promover a modernização

O prefeito Volnei Morastoni e o presidente executivo do Banco de Desenvolvimento do Estado de Santa Catarina (Badesc), Justiniano de Almeida Pedroso, assinaram em 1º de novembro um contrato de financiamento no valor de R$ 21 milhões, para a aquisição pelo Município de área pertencente ao Porto de Itajaí, onde está edificado atualmente o Centro Integrado de Saúde (CIS). Com os recursos, a Autoridade Portuária dará continuidade os seu processo de ampliação, com a ampliação da retroárea em mais 35 mil metros quadrados.

“A partir de agora o terreno do CIS vem para o patrimônio do município. Já os recursos para o porto, sabemos que irão para o que realmente necessita”, avalia o prefeito. O presidente do Badesc classificou o acordo como inédito e uma quebra de paradigmas burocráticos. Para Pedroso, a empresa pública é “um órgão fomentador da economia catarinense e não poderia deixar de fazer parte dessa parceria entre o estado de Santa Catarina, Itajaí e a União”.

“Com esses recursos poderemos, dentro do plano de desenvolvimento e zoneamento (PDZ) do porto, investir na ampliação das retroáreas e promover a modernização do Porto de Itajaí”, explica o superintendente Marcelo Werner Salles. Segundo o engenheiro, serão inicialmente acrescidos 35 mil metros quadrados à área primária, com a desapropriação das áreas justapostas ao Recinto Alfandegado Contíguo (RAC), anexando-o a parte da Rua Blumenau e a atual retroárea. As obras deverão ocorrer no próximo ano e a previsão para a inclusão da nova área é dezembro de 2019.

Além dessa área, o PDZ do Porto prevê o acréscimo de mais 350 mil metros quadrados à área primária nos próximos anos, com desapropriações decorrentes do novo plano de mobilidade urbana de Itajaí, da aquisição da área do Centro Comercial Portuário pelo Município e também por meio da injeção de recursos da iniciativa privada com a licitação dos berços 3 e 4 e respectivas retroáreas.

“O Porto de Itajaí tem uma necessidade premente de áreas porque estamos estabelecendo novos parâmetros operacionais com a nova bacia de evolução e a retomada das operações do berço 4, cujas obras deverão ser concluídas ainda neste ano, o que torna crucial que tenhamos mais áreas”, acrescenta Salles. As obras do berço 4, que estão em execução há mais de três anos, tiveram seu ritmo bastante reduzido neste segundo semestre, em decorrência dos atrasos nos repasses pela União. No entanto, segundo Salles, os impasses administrativos que travavam a obra foram solucionados, as últimas medições estão em processo de pagamento e as obras serão retomadas imediatamente.




Últimas Notícias

Notícias

© Copyright 2000-2014 Editora Bittencourt