sexta, 16 de novembro de 2018
18/10/2018 11:46

Estaleiro de embarcações de lazer escolhe Itajaí e abre 300 postos de trabalho

A previsão e que a empresa inicie suas operações na cidade com a construção de iates até 100 pés e em até seis meses iniciará também a produção de barcos especializados para pesca esportiva

As vantagens logísticas que o município oferece, aliadas a excelência na mão de obra no segmento da construção naval, foram decisivas para que o estaleiro Sedna Group optasse por transferisse parte de suas operações de São Paulo para Itajaí. A empresa já garantiu investimentos de R$ 25 milhões no município – na transferência, adequação e ampliação de suas instalações no Complexo Teporti, que já abriga a única unidade do gigante Azimut Yachts fora da Itália. Vai gerar 250 empregos nos próximos meses, com o início das atividades programadas para ocorrer entre dezembro deste ano e janeiro de 2019, chegando a 300 vagas até meados do ano que vem, quando a transferência estiver consolidada.

O Sedna Group é o único estaleiro do Brasil com três coleções distintas de embarcações: Sedna Sport Fishing – voltada para a pesca oceânica; Sedna Super Sport – barcos de alto desempenho e design e a recentemente criada Sedna Yachts, que traz barcos de luxo de 36 a 100 pés. A previsão e que a empresa inicie suas operações na cidade com a construção de iates até 100 pés. No entanto, em até seis meses, iniciará também a produção de barcos especializados para pesca esportiva. O estaleiro, que hoje entrega 25 embarcações por ano, pretende subir a média para 80 a partir do segundo semestre do ano que vem.

“Em Itajaí nosso parque fabril estará muito mais próximo da cadeia de suprimentos e ainda teremos a vantagem de nossa planta estar instalada na margem do Rio Itajaí-Açu, o que possibilitará que façamos as entregas de nossas embarcações na porta da fábrica”, diz o CEO do Sedna Group, Elio Rossi. Segundo o gestor, a maior parte dos barcos produzidos em Itajaí terá como destino o mercado nacional. “Existe uma estimativa de aumento de 20% ao ano na demanda por iates de luxo no Brasil, mas também enviaremos embarcações produzidas em Itajaí para o Caribe, Mercosul, Estados Unidos e Canadá.”

Potencial

Itajaí é hoje o maior polo da indústria náutica em Santa Catarina, com três grandes estaleiros que constroem barcos de lazer. Santa Catarina, por sua vez, responde por aproximadamente 60% de toda a produção nacional desse tipo de embarcação. A indústria náutica é beneficiada no Estado pelo programa Pronáutica, que permite um regime especial de tributação do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços de Qualquer Natureza (ICMS), o que é visto pelo setor como uma importante alavanca para a atividade.

“A excelência da mão de obra que Itajaí oferece foi decisiva para que a empresa trouxesse sua planta industrial para Itajaí. Foi essa mesma mão de obra que contribuiu para que a Azimuth se instalasse na cidade, juntamente com outros importantes estaleiros”, afirma o secretário de Desenvolvimento Econômico de Itajaí, Giovani Testoni. Entretanto, segundo o secretário, os benefícios fiscais oferecidos pelo Estado também têm um grande potencial de atração. “Tanto é que a empresa não pediu nada ao município. Deverá se beneficiar apenas dos incentivos do Governo do Estado.”

Capital Catarinense da Construção Naval e do Turismo Náutico

A Assembleia Legislativa de Santa Catarina aprovou, por unanimidade em segundo turno, na última terça-feira, 16, o projeto de lei que reconhece oficialmente Itajaí como a Capital Catarinense da Construção Naval e do Turismo Náutico. O projeto tem autoria do deputado Leonel Pavan e segue agora para sanção do governador, para se transformar em lei estadual. Parte da consagração de Itajaí no segmento náutico se deve às três edições de sucesso da Volvo Ocean Race no município. Neste ano, mais de 430 mil pessoas passaram pela Vila da Regata da única parada da América Latina. Ao todo, o evento impactou a economia em mais de R$ 83 milhões.

Além do esporte, Itajaí também impulsiona o lazer e os negócios náuticos. A identidade econômica que vem das águas se completa com a construção naval, o porto e a pesca. “Desde 2002, Itajaí carrega o título de Capital da Construção Naval. A proposta do deputado vem somar ao título já empregado ao município. Desta forma, com a sanção do governador, Itajaí passará a ser reconhecida como Capital Catarinense da Construção Naval e do Turismo Náutico”, informa por nota o Executivo municipal.

O secretário de Turismo de Itajaí, Evandro Neiva, completa que o município vem mostrando seu potencial para receber turistas de forma mais profissional, em várias frentes de trabalho. “A estrutura hoteleira e a infraestrutura geral da cidade melhorou. Itajaí hoje se mostra totalmente capaz de realizar grandes eventos. A cada ano estamos desenvolvendo ainda mais o nosso potencial náutico e esse reconhecimento estadual é muito importante para nos fortalecer em Santa Catarina e também no Brasil”, garante Neiva.

“O título de Capital Catarinense da Construção Naval e do Turismo Náutico deve agregar muito à Itajaí, pois temos importantes fabricantes de embarcações de lazer, pesca, rebocadores e embarcações de apoio a plataformas que competem com empresas do setor no mundo inteiro, além de sermos reconhecido mundialmente pela excelência de nossa mão de obra”, acrescenta Giovani Testoni.




Últimas Notícias

Notícias

© Copyright 2000-2014 Editora Bittencourt