sábado, 25 de maio de 2024
24/05/2024

Valor médio das compras no Dia das Mães caiu, mas faturamento subiu em relação a 2023, revela Fecomércio


O Dia das Mães é uma data significativa para a economia catarinense. Os setores de comércio e turismo são especialmente beneficiados pelo aumento do consumo e pela movimentação no mercado de trabalho, gerando um impacto positivo nas vendas e no fluxo de visitantes. 

A Fecomércio SC investigou diversos indicadores, incluindo o de contratação de trabalhadores temporários, para analisar os resultados das vendas do Dia das Mães 2024.
No âmbito do mercado de trabalho, manteve-se a trajetória de redução no número de empresas que fizeram contratações para atender a demanda extra do período. Em comparação com o Dia das Mães do ano passado, a contratação de temporários caiu três pontos percentuais, representando 5,4% dos empresários.

Apesar da queda, a quantidade média de colaboradores temporários chegou a 2,9 colaboradores, o maior valor registrado na série histórica. Os segmentos de ‘vestuário e acessórios’, de ‘floriculturas’ e de ‘perfumes e cosméticos’ se destacaram entre os que realizaram contratações no período.

Os consumidores gastaram, em média, R$ 266 no Dia das Mães de 2024. Em comparação com o ano passado, esse ticket caiu 17,4% e, descontando os efeitos da inflação, a queda foi de 21,1%. Mesmo assim, o gasto ficou acima do nível pré-pandemia e da intenção de gasto prevista. 

Os segmentos de 'joalheria e relojoaria' e 'tecnologia e comunicação' apresentaram os maiores tickets médios, atingindo R$ 778 e R$ 432, respectivamente, devido ao alto valor agregado desses produtos. Destaca-se que o ticket médio no segmento de 'tecnologia e comunicação' aumentou 5,6% neste ano.

Os resultados do faturamento foram positivos, com um crescimento de 9,4% em comparação com os demais meses do ano. Adicionalmente, em relação ao Dia das Mães do ano anterior, verificou-se um aumento de 1,6%.


Pouco mais da metade dos consumidores preferiu realizar suas compras à vista (56,2%). A opção pelo pagamento parcelado cresceu 4,2 pontos percentuais, representando 42% do total. Essa tendência pode estar relacionada ao cenário de redução das taxas de juros, que tem tornado o parcelamento mais atrativo para os consumidores. Em relação à forma, predominou o pagamento parcelado no cartão de crédito (39%). A escolha por esse tipo cresceu 7,1 p.p. no período. Destaca-se o crescimento de 2,6 p.p. no pagamento via PIX, forma escolhida por 14,9% dos consumidores.

Para 36,2% dos empresários, a frequência dos clientes realizando pesquisa de preços foi razoável. Para 32,1% a frequência foi alta e para 30,5% a frequência foi baixa. O resultado desse indicador para este ano foi semelhante ao observado no ano passado. Por fim, a Fecomércio SC também questionou os empresários catarinenses a
respeito dos impactos das chuvas no próprio negócio. Do total de entrevistados, pouco mais da metade (53,3%) afirmou ter sofrido impacto com as chuvas, enquanto 46,7% não relataram impactos. Em relação ao faturamento, cerca de metade dos empresários (50,5%) relataram não ter observado mudanças. Para 47,2%, houve uma redução, enquanto 2,3% relataram um aumento. Entre os empresários que relataram ter enfrentado algum tipo de impacto, destaca-se a diminuição das vendas, afetando 87% deles, e os problemas relacionados à entrega de mercadorias para os

Contratações

A Fecomércio SC investigou diversos indicadores, incluindo o de contratação de trabalhadores temporários, para analisar os resultados das vendas do Dia das Mães 2024.
Os resultados indicam que 5,4% dos empresários contrataram colaboradores temporariamente para atender aos consumidores. Em comparação com o Dia das Mães do ano passado, a contratação de trabalhadores caiu três pontos percentuais, enquanto o percentual de empresários que não realizaram contratações no período aumentou em dois
pontos percentuais. Historicamente, os empresários catarinenses tendem a não contratar colaboradores temporários para esta data.

Entre os que realizaram contratações, a maioria foi nos segmentos de ‘vestuário e acessórios’, de ‘floriculturas’, e ‘perfumes e cosméticos’. Apesar do pequeno percentual de empresas contratantes, aquelas que efetuaram contratações tiveram em média 2,9 colaboradores para atender à demanda, o maior valor registrado na série histórica.

Ticket médio​

O ticket médio nominal dos estabelecimentos comerciais no Dia das Mães caiu 17,4% em relação a 2023, totalizando R$ 266. Esse declínio interrompeu a trajetória de crescimento observada desde 2021. Apesar da queda, tal desempenho ficou acima do nível pré-pandemia (R$ 224 em 2019). Descontando o efeito da inflação, o ticket médio de 2024 é 21,1% inferior ao de 2023.

Quanto ao ticket médio por segmento econômico*, o destaque em termos absolutos foi Joalherias e Relojoarias, com uma média de R$ 778, representando uma queda de 0,6% em comparação com o Dia das Mães de 2023. O segundo ticket médio mais alto foi registrado no segmento de Tecnologia e Comunicação, com R$ 432, sendo o único segmento a apresentar crescimento no período, com um aumento de 5,6%. Em terceiro lugar, o segmento de Vestuário e Acessórios teve um ticket médio de R$ 282, registrando uma queda de 23,5% no período.

Variação do faturamento
Os empresários também foram questionados a respeito da variação do faturamento de suas empresas, tanto em relação à mesma data de 2023, quanto em relação aos demais meses do ano. Em comparação com o Dia das Mães de 2023, o faturamento cresceu 1,6%. Já em relação aos demais meses do ano, o faturamento nominal cresceu 9,4%. Os dados mostram que houve desaceleração desse crescimento. No ano passado, o faturamento cresceu 8,9% em relação ao dia das mães do ano anterior e 15,8% em relação aos meses comuns do ano. Ainda merece destaque o fato de que as vendas online e por telefone representaram 16,5% do faturamento do período


Formas de pagamento
Dentre as formas de pagamento das compras, a maioria dos consumidores preferiu pagar parcelado no cartão de crédito (39%). A opção por essa forma cresceu 7,1 p.p. em relação ao dia das mães do ano passado. A segunda forma de pagamento mais utilizada pelos consumidores catarinenses foi à vista no cartão de crédito, com 27,4% optando por essa modalidade. 

O uso dessa forma de pagamento caiu 4,7 p.p. no período. O pagamento via PIX foi escolhido por 14,9% dos consumidores, representando um aumento de 2,6 pontos percentuais em comparação com o ano anterior. A popularidade desta forma de pagamento tem crescido em toda a economia catarinense em diversas datas comemorativas.

As demais formas de pagamento utilizadas foram: ‘à vista, cartão de débito’ (13,1%, com queda de 1 p.p.); parcelamento no crediário (3,1% e queda de 2,9 p.p.); outro (1,5% e aumento de 0,5 p.p.); ‘à vista em dinheiro’ (0,8% e queda de 1 p.p.


Impactos das chuvas no Rio Grande do Sul
A Fecomércio SC questionou os empresários a respeito dos impactos das chuvas no Rio Grande do Sul nos negócios. Considerando que a pesquisa foi realizada entre os dias 13 e 16 de maio, os resultados apresentados ainda são preliminares. Os questionamentos abordaram o impacto no faturamento, o tipo de impacto sofrido, e o percentual desse impacto em relação ao faturamento previsto para o mês de maio deste ano.
Do total de entrevistados, pouco mais da metade (53,3%) afirmou ter sofrido impacto com as chuvas, enquanto 46,7% não relataram impactos. Em relação ao faturamento, cerca de metade dos empresários (50,5%) relataram não ter observado mudanças. Para 47,2%, houve uma redução, enquanto 2,3% relataram um aumento.


Do total de empresários que relataram algum impacto decorrente das chuvas, 87% registraram redução das vendas; 76,9% encontraram dificuldades em relação à entrega de mercadorias para os clientes; 24% relataram aumento no valor dos insumos; e 15,9% cancelaram seus compromissos; 2,9% tiveram colaboradores afetados e 1,9% tiveram mercadorias prejudicadas/avariadas. Por outro lado, 4,3% desses empresários registraram aumento.



Blog

Procon-RJ lança cartilha de orientação para compras de fim de ano

Preocupado com problemas que podem surgir para os consumidores neste período de festas de fim de ano, o Procon-RJ lançou cartilha de orientação para as compras natalinas.

A diretora de Atendimento do Procon-RJ, Evelyn Capucho, disse hoje (19) à Agência Brasil que, de modo geral, a autarquia verifica problemas relacionados com a entrega de produtos em compras online, quando a empresa não entrega o produto ou o próprio consumidor não verifica o prazo de entrega da mercadoria, que acaba chegando, às vezes, em data posterior à que ele precisa para presentear.

Outro problema é o da troca, envolvendo desde casos em que esse tipo de política não é informado corretamente ao consumidor até quando este não atenta para tal processo na empresa.

Na cartilha, o Procon-RJ alerta também para a existência de sites fraudulentos, onde o consumidor acaba sendo induzido a chegar por preços mais baixos ou por algum e-mail recebido. “Então, ele clica naquele link e não é o site da loja verdadeira. É um tipo de fraude. São coisas que a gente tenta alertar. São dicas para os consumidores não caírem em golpes, para que não tenham problemas que não são necessários”, afirmou Evelyn.

Nota fiscal

A cartilha de dicas para compras de Natal orienta o consumidor a sempre exigir a nota fiscal. “Se, no ato de receber o produto em uma loja física, que ele peça a nota fiscal; se está trabalhando a compra, e o produto vai ser entregue em casa, porque é uma loja virtual ou ele não está no estabelecimento, que ele tenha o pedido da compra, que guarde e-mails trocados com aquela loja, anote protocolos. Que ele sempre procure ter toda a documentação que registre aquela contratação que está fazendo. E a nota fiscal é importantíssima”, disse Evelyn.

O presidente do Procon-RJ, Cássio Coelho, destacou que a cartilha abrange desde o ato da compra, tanto em lojas físicas como nas virtuais, com os pontos que devem ser observados pelo consumidor, até a entrega e o que deve ser feito nos casos de não recebimento do produto. “Se, ainda assim, o consumidor tiver qualquer problema, ele pode entrar em contato com o Procon através dos canais de atendimento disponíveis no site”, acrescentou Coelho.

Garantia

Evelyn Capucho lembrou ainda a existência da garantia legal, que está atrelada ao fato de se tratar de um produto durável ou não durável. No primeiro caso, a garantia vale por até 90 dias e, no caso de não duráveis, por 30 dias. “Fora isso, é comum que os fabricantes, não é lei, deem uma garantia contratual de até um ano”. A garantia acima da legal, que ultrapassa o prazo de 30 ou 90 dias, é chamada de garantia contratual ou garantia do fabricante. “É importante que o consumidor verifique isso, para saber por quanto tempo vai estar assegurado”.

A cartilha esclarece também o que é a chamada garantia estendida, o que cobre aquele contrato, para saber se há vantagens para o consumidor ou não. Na verdade, a garantia estendida é um contrato de seguro, uma apólice de seguro. Por isso, Evelyn destaca que o consumidor precisa se inteirar da cobertura que é dada para saber se é interessante para ele. “Porque, não necessariamente, o que está ali vai ser igual à garantia legal, que é uma garantia total do produto”, alertou. “Ele pode contratar, mas contratar o que precisa de fato”, completou.

Datas comemorativas

Na opinião da diretora do Procon, o consumidor está mais esclarecido sobre seus direitos, mas, dependendo da época do ano, podem ocorrer problemas. As reclamações recebidas pela autarquia funcionam como um termômetro do que está acontecendo no mercado de consumo. Segundo Evelyn, datas importantes para o comércio, como os dias das Mães, dos Namorados, dos Pais e das Crianças, a Black Friday e o Natal são sempre mais propensas a apresentar problemas.

“Quanto mais movimentado estiver o comércio, maior a chance de problemas. Por isso, procuramos orientar as pessoas para um consumo consciente. Que tenham consciência dos seus direitos que, muitas vezes, ele não observa, na pressa de fazer aquela compra.”

A cartilha pode ser acessada no link https://bit.ly/NatalProconRJ2022

Dólar (USDBLR) sobe ante real após liminar de Gilmar Mendes sobre Bolsa Família

O dólar (USDBLR) subiu frente ao real nesta segunda-feira, após a decisão do ministro do STF Gilmar Mendes de conceder liminar que retira o Bolsa Família da regra do teto de gastos, com investidores tentando entender como a medida afeta a tramitação da PEC da Transição na Câmara dos Deputados.

A moeda norte-americana à vista subiu 0,34%, a 5,3103 reais na venda.

Na B3 (B3SA3), onde os negócios vão além das 17h (de Brasília) o contrato de dólar futuro de primeiro vencimento caía 0,19%, a 5,3215 reais.

Gilmar Mendes concedeu na noite de domingo liminar que retira da regra do teto de gastos os recursos para o pagamento do Bolsa Família de 600 reais no ano que vem e permite que o governo federal utilize um crédito suplementar para pagar o benefício.

A decisão de Mendes acontece em meio às negociações na Câmara dos Deputados sobre a PEC da Transição, que busca retirar da regra do teto de gastos recursos para o cumprimento de promessas de campanha feitas pelo presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva, entre eles a manutenção do benefício social de 600 reais.

A XP avaliou em nota que o impacto fiscal da liminar de Mendes tende a ser menor que o da PEC da Transição, mas ponderou que “ainda é preciso compreender melhor os detalhes da medida e como isso afeta a tramitação do projeto (PEC) na Câmara”.

Apesar da decisão de Gilmar Mendes, o futuro ministro da Fazenda, Fernando Haddad, defendeu nesta segunda-feira a aprovação da PEC da Transição pelo Congresso.

A proposta, que oferece maior segurança jurídica ao governo eleito, está entrando em uma semana decisiva, depois de o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), ter anunciado que a votação do texto acontecerá na terça-feira.

Para Wanessa Guimarães, sócia da HCI Investimentos e planejadora financeira pela Planejar, qualquer leitura de que o Orçamento será estourado ou flexibilizado é negativa para o mercado de câmbio, seja via PEC ou qualquer outro caminho. “A expectativa é de que a gente tenha um dólar crescente daqui para a frente”, avaliou ela, que também prevê muita volatilidade nas negociações desta semana.

No exterior, ajudando a limitar as perdas do real, o dólar caía ligeiramente contra uma cesta de moedas fortes, o que Fabrizio Velloni, economista-chefe da Frente Corretora, atribuiu a um ajuste depois de ganhos recentes na esteira da decisão de política monetária do Federal Reserve da semana passada.

Embora tenha desacelerado o ritmo de seu aperto monetário em reunião de dezembro, o banco central norte-americano emitiu comunicado mais duro do que o esperado, alertando que sua batalha contra a inflação ainda não acabou, o que despertou temores de que a alta dos juros nos Estados Unidos levará a maior economia do mundo a uma recessão.

Nesse contexto, o dólar foi beneficiado nos últimos dias, já que é considerado aposta segura em momentos de incerteza econômica.

Na última semana antes do Natal, investidores alertavam para volumes reduzidos de negociação no mercado brasileiro.

Maersk busca expandir capacidade de armazenamento na América Latina oferecendo valor na cadeia de suprimentos de seus clientes

Desde 2020, muitas empresas têm enfrentado falta de espaço em seus armazéns devido ao cenário de altos estoques e necessidade crescente de sustentar novos hábitos de consumo após a pandemia.

Dentro desse cenário, há uma maior demanda por instalações eficientes para cobrir todas as necessidades de armazenamento. A busca por soluções no processo de armazenagem tem se tornado cada vez mais importante para as empresas, pois a complexidade ou não em termos de velocidade, controle e visibilidade depende da qualidade de sua administração. A ideia de um novo modelo de solução de armazenamento e distribuição é que os armazéns fiquem mais próximos dos clientes.

Com isso em mente, a Maersk visa conectar melhor a América Latina com o mundo, expandindo seu armazenamento de ponta a ponta e sua rede regional de consolidação/desconsolidação com soluções inovadoras que atendem às necessidades do cliente.

Douglas Tacla, gerente regional de armazenagem e distribuição da Maersk na América Latina, explica que o grupo possui atualmente aproximadamente 350.000 m² de armazéns na América Latina e mais de 20 centros de distribuição com localizações estratégicas em toda a região. Como parte do compromisso de ser um integrador logístico integrado, a Maersk planeja crescer na América Latina para garantir uma rede de armazéns que complemente os planos de crescimento dos clientes e apoie o desenvolvimento da região. 

A Maersk pretende posicionar seus armazéns e centros de distribuição para que tenham conectividade com portos para integração com serviços marítimos, mas também próximos a ferrovias, rodovias e cidades, para melhor conectar toda a região.

Em setembro de 2022, a Maersk inaugurou um novo armazém em Cajamar, em São Paulo, no Brasil, localizado próximo aos principais centros econômicos da região sudeste e estrategicamente próximo aos principais mercados consumidores de varejo, tecnologia e eletrônicos, moda e lifestyle, entre outros. A instalação está localizada a 50 km dos principais aeroportos do Brasil, 120 km do porto de Santos e 30 km de São Paulo, com rápido acesso às principais rodovias.

Além desta nova unidade, o grupo também tem armazém funcionando em Manaus, São Bernardo do Campo, e Itapoá, em Santa Catarina e planeja instalar dois outros armazéns: um no Sul do Brasil e outro na cidade de Extrema, em Minas Gerais. Esses armazéns, localizados em pontos estratégicos, vão atender uma parte essencial para a logística do país.

 

Soluções em infraestrutura e tecnologia

Após a pandemia, com as mudanças nos hábitos de consumo, chegar mais rápido aos mercados e ter grande controle e visibilidade do estoque e se adaptar rapidamente à demanda do mercado é essencial. Atualmente, os sistemas contribuem para um armazenamento mais sustentável e compacto, com uma distribuição eficiente para otimizar o espaço e maximizar as operações, além de acomodar um maior número de produtos.

Segundo Tacla, os esforços da empresa em relação aos serviços de armazenamento e distribuição estão atualmente focados em aumentar a infraestrutura e tecnologia relacionada à inteligência artificial, com o objetivo de ter na América Latina uma capacidade e parâmetros de resposta semelhantes aos da Europa, Ásia e Estados Unidos.

“Uma das grandes vantagens de manter os serviços de armazenagem e distribuição na vanguarda é que eles se integram naturalmente com os serviços de logística de ponta a ponta, que poucas empresas no mundo conseguem oferecer aos seus clientes globalmente”, afirma.

A imprevisibilidade durante a pandemia alimentou novas tendências de armazenamento, muitas das quais devem ter um efeito permanente. Por exemplo, a implementação de tecnologias, digitalização e ar condicionado sustentável em seus armazéns para maximizar as operações e ajudar a reduzir as emissões de carbono.

“O mais recente galpão da Maersk, localizado em Cajamar, em São Paulo, possui certificação LEED Platinum (Leadership in Energy and Environmental Design), que inclui painéis solares na cobertura, sistema de aproveitamento de águas pluviais e gerenciamento de resíduos, isolamento térmico em feltro, além de equipamentos para manuseio de baterias de lítio”, detalha Douglas.

A Maersk se transformou em uma provedora de serviços abrangentes de logística de ponta a ponta, e as soluções de distribuição e armazenamento alavancam operações de rede global compartilhada para ajudar a otimizar as cadeias de suprimentos dos clientes.

Conteúdo Adicional: Armazenamento e Distribuição 

 

Sobre AP Moller - Maersk

A.P. Moller - Maersk é uma empresa de logística integrada que trabalha para conectar e simplificar as cadeias de suprimentos de seus clientes. Como líder global em serviços de transporte, a empresa opera em mais de 130 países e emprega mais de 100.000 pessoas em todo o mundo. A Maersk pretende atingir zero emissões líquidas até 2040 em todo o negócio com novas tecnologias, novas embarcações e combustíveis verdes.

https://www.maersk.com/

Bolsa cai 1,67% e atinge menor nível desde agosto

No dia seguinte à aprovação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) da Transição, a bolsa teve nova queda e atingiu o menor nível desde agosto. A moeda norte-americana teve um dia estável, fechando em leve alta.

O índice Ibovespa, da B3, fechou aos 107.249 pontos, com queda de 1,67%. O indicador está no menor nível desde 5 de agosto. As ações que mais caíram foram as de bancos privados, sob reflexo da manutenção da taxa Selic (juros básicos da economia) em 13,75% ao ano, e as da Petrobras.

Ontem (7), o Banco Central não mexeu nos juros da economia, que estão no nível mais alto em cinco anos. No entanto, o comunicado do Comitê de Política Monetária (Copom) indicou a possibilidade de a Selic permanecer alta por mais tempo por causa da “elevada incerteza sobre o futuro do arcabouço fiscal do país e estímulos fiscais adicionais”, em uma referência à PEC da Transição. Juros altos afastam os investidores da bolsa e estimulam aplicações em renda fixa.

O dólar comercial fechou o dia vendido a R$ 5,216, com alta de R$ 0,01 (+0,2%). A cotação teve um dia de idas e vindas, chegando a R$ 5,23 nos primeiros minutos de negociação e caindo para R$ 5,19 algumas vezes ao longo do dia.

Com o desempenho de hoje, a moeda norte-americana acumula alta de 0,27% em dezembro. Em 2022, a divisa cai 6,46%.

Prevista para ser votada pela Câmara dos Deputados na próxima semana, a PEC da Transição foi aprovada ontem à noite em dois turnos pelo Senado com uma diminuição de R$ 30 bilhões em relação ao valor inicial. O montante de despesas fora do teto de gastos caiu de R$ 198 bilhões para R$ 168 bilhões, e o período de exceção caiu de quatro para dois anos.

No exterior, os investidores estão sob a expectativa da próxima reunião do Federal Reserve (Fed, Banco Central norte-americano), que ocorrerá semana que vem. A divulgação da notícia de que os pedidos de seguro-desemprego voltaram a subir nos Estados Unidos aumentou as expectativas de que o Fed comece a desacelerar o aperto monetário, elevando as chances de o órgão elevar os juros básicos da maior economia do planeta em 0,5 ponto percentual, após quatro altas seguidas de 0,75 ponto.

*Com informações da Reuters

Vibe Log recebe Selo Social por projetos sociais desenvolvidos aos funcionários e comunidade itajaiense

O Município de Itajaí, por meio da Secretaria de Promoção da Cidadania, promoveu na noite do dia 07 a cerimônia de certificação do Programa Selo Social. Na edição 2021/2022, foram 66 empresas participantes com 521 projetos analisados para a certificação. A Vib Log foi uma delas, recebendo o selo em evento realizado na sede social do Itamirim Clube de Campo.

O Programa Selo Social é um esforço do Município em incentivar as empresas e organizações que realizam projetos que visem acabar com a pobreza, proteger o meio ambiente e o clima e garantir que as pessoas, em todos os lugares, possam desfrutar de paz e prosperidade. O propósito final é contribuir e promover os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) no município.

A Vibe Log recebeu os selos em reconhecimento aos investimentos sociais destinados ao público interno e externo, assim como por sua regularidade fiscal, contribuindo por meio de suas ações no atendimento às metas dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).

Os projetos apresentados e reconhecidos da Vibe Log foram os seguintes:

Todo dia é dia de prevenção: Contribuir para conscientização da prevenção ao câncer de mama. No decorrer do ano, nossos caminhões Rosas da empresa levam no seu dia a dia a mensagem " Todo dia é dia de prevenção", além distribuir às colaboradoras camisetas compradas nas instituições da nossa cidade para reverter esses valores em atendimentos a pacientes desta doença

Objetivos e metas contemplados:

 ODS3 - Saúde de qualidade

 ODS17 - Parcerias pelas metas

 

 

Contribuir com meio ambiente:

A empresa contribui com o meio ambiente, conscientizando e gerando nos colaboradores a prática sustentável no qual com certeza vai se perpetuar no meio em que vive. Copos e xícaras com o nome do funcionário e a logo da empresa são utilizados na empresa, recicláveis e não descartáveis,

Objetivos e metas contemplados:

 ODS12 - Consumo responsável

 

SETEMBRO AMARELO:  A Vibe Log propaga a informação e fomenta a divulgação do Mês Setembro Amarelo, com ações de conscientização para seus colaboradores. Para isso, palestras são realizadas com psicólogos, como também incentivar todos os colaboradores a vestirem a cor amarela para promover está ação de suma importância para nossa sociedade.

 

Objetivos e metas:

ODS3 - Saúde de qualidade

ODS8 - Empregos dignos e crescimento econômico

 

 

BEM ESTAR:  A Vibelog com o intuito de zelar pelo bem estar de seus funcionários, fornece a todos os colaboradores vale alimentação mensal e também nas datas comemorativas realiza eventos internos (festas fantasias, brindes, café especial) para gerar interação, motivação e sentimento de pertencimento a equipe Vibenífica, além de um momento de convívio e lazer entre seus colaboradores.

Objetivos e metas contemplados:

 ODS8 - Empregos dignos e crescimento econômico

 ODS17 - Parcerias pelas metas

 

Saúde com qualidade: A Vibelog com intuito de prezar pelo autocuidado de saúde dos seus colaboradores e preservar uma boa relação com os mesmos, oferece plano de saúde à todos os seus funcionários. Esse projeto busca incentivar que os funcionários façam visitas periódicas ao médico com o objetivo de zelar pela prevenção de problemas de saúde, além de terem acesso ao pronto atendimento em hospitais e clínicas conveniadas pelo plano, o que facilita e qualifica o atendimento. Após o funcionário ser admitido ele já é incluso no plano empresarial e fica apto a utilizar o plano.

Objetivos e metas:

 ODS3 - Saúde de qualidade

 

A importância da tecnologia na logística aduaneira

Seja em casa, na rua ou no escritório, a tecnologia atua no intuito de otimizar  diversos processos. Da mesma forma funciona a logística aduaneira, que é fundamental para que uma operação de comércio exterior  ocorra de forma eficiente

De acordo com Helmuth Hofstatter, CEO e fundador da Logcomex, empresa que oferece tecnologia para o comércio exterior por meio de uma plataforma completa end-to-end, a fim de conectar todos os elos do comércio global com soluções que vão desde o planejamento com data analytics, até a visibilidade avançada de toda a cadeia do supply chain, pode parecer um procedimento simples, mas na verdade é complexo e pode afetar diretamente — de forma positiva ou negativa — toda uma cadeia logística.

São vários os segmentos que fazem parte da logística aduaneira, incluindo armazenagem, movimentação, preparação, separação e transporte de insumos e produtos. Cabem ao setor decisões como exigências sanitárias, desembaraço alfandegário e disposição dessas exigências. Nesse processo, uma figura importantíssima é o despachante aduaneiro. 

Por esse motivo é tão importante acompanhar de perto e saber quais são as melhores alternativas adotadas dentro da logística aduaneira, conforme explica Hofstatter . “ Trata-se de uma peça-chave dentro do Comex para empresas que importam e exportam. Várias etapas diferentes compõem o processo logístico e, dadas as condições, se faz necessária uma estratégia bem traçada. A própria rotina vai demandar o que há de melhor e mais moderno em soluções, ferramentas e sistemas para andamento do trabalho”, aponta o especialista. 

O objetivo de todo o trabalho é entregar o que foi pedido pelo cliente dentro do tempo certo, além de viabilizar o serviço de maneira que não pese no bolso de ninguém, nem traga prejuízos durante o processo do comércio exterior - para todas as partes.

A estratégia logística é conhecida pelos seguintes pilares:

  • Armazenamento de mercadorias.
  • Movimentação e entrega de matérias-primas, insumos e produtos finalizados.
  • Separação e preparação de itens.
  • Transporte de produtos.

Portanto, a tomada de decisão com relação ao qual tipo de regime aduaneiro será adotado faz parte do planejamento logístico. Essa escolha influencia outros elementos, como a contratação de transporte e armazenamento, o que consequentemente impacta nos custos e produção. 

“O papel fundamental da logística aduaneira nas operações internacionais é analisar e estruturar os pedidos para haver um melhor gerenciamento — de acordo com cada uma das empresas”, aponta o CEO. Toda a movimentação de cargas, produtos e itens precisa passar por ela. 

Portanto, um plano bem elaborado pode significar sucesso para o importador após o processo no mercado exterior ser encerrado. Levando esses fatores em consideração, podemos dizer que o processo está presente nas importações e exportações que serão analisadas e executadas. Afinal de contas, armazenamento, transportes e até exigências sanitárias estão sob responsabilidade desse segmento. 

Ele também enumera os principais pontos durante o processo de logística aduaneira: 

  • Documentação e impostos.
  • Cumprimento de exigências, particularidades e legislações próprias e específicas de cada país.
  • Controle de mercadorias.
  • Processos e órgãos envolvidos no Brasil.
  • Tipo de Transporte e agente de cargas.
  • Armazenamento de produtos.

A tecnologia é extremamente essencial ao tratarmos de logística internacional. Isso porque o processo integra as partes administrativas, operacionais e legais relacionadas a uma carga. Por isso, toda ajuda é mais que bem-vinda para facilitar o trabalho no comércio exterior e fazer com que ele seja o mais assertivo possível. “Ao usar a tecnologia a seu favor, o processo de logística aduaneira pode ser monitorado, principalmente quando se opta por uma ferramenta de visibilidade em tempo real, como o LogManager”, destaca Helmuth.

Com a plataforma, é possível monitorar de perto seus embarques, desde a logística internacional até o desembaraço aduaneiro, atualizando-se em tempo real sobre possíveis atrasos. Ela é capaz de monitorar mais de 20 tipos de eventos diferentes ao longo da jornada de embarque da carga.

Sobre a Logcomex

A Logcomex é uma empresa que desenvolveu soluções de tecnologia que oferecem visibilidade avançada, data analytics e automação para o comércio global. Presente em mais de 11 países espalhados em cinco continentes, a Logcomex oferece soluções para toda a cadeia de suprimentos global com visibilidade em tempo real, eficiência na gestão de ponta a ponta da operação e informações estratégicas para as empresas que atuam no comércio exterior. Para saber mais, acesse  https://www.logcomex.com/ 

Sobre Helmuth Hofstatter

Empreendedor apaixonado por tecnologia e inovação, possui mais de 12 anos de experiência no segmento de logística internacional, fundador da Logcomex,que desenvolveu soluções de tecnologia que oferecem visibilidade avançada, data analytics e automação para o comércio global. É especialista em gestão de produtos e nas mais diversas soluções voltadas ao universo do comércio exterior.

Mario da Silva é o novo presidente da CDL Itajaí

A eleição para escolha da nova diretoria da Câmara de Dirigentes Lojistas de Itajaí contou com chapa única e ocorreu nessa terça-feira, 29. O empresário Mario da Silva, 60 anos, atual diretor de SPC da entidade foi o escolhido para presidir a CDL nos próximos 2 anos. 

Marinho, como é conhecido, é empresário do ramo de colchões, em Itajaí e está no associativismo há 7 anos. 

O dirigente assume a gestão no dia 1 de janeiro de 2023.  “Será uma honra estar na direção desta entidade onde já passaram vários dirigentes reconhecidos e que contribuíram tanto para a nossa entidade e desenvolvimento do setor. Nosso grande desafio será dar continuidade a excelente gestão do Presidente Laerson. Um dos nossos objetivos será o de criar um acervo contando a história da CDL de Itajaí. Um material capaz de ilustrar a dimensão e importância desta entidade”, comentou.

Nos últimos seis anos, a CDL Itajaí é presidida por Laerson Batista da Costa.

Verner Dietterle é reconduzido à presidência da ACIN

O empresário do ramo da construção civil, Verner Dietterle, vai presidir a Associação Empresarial de Navegantes (Acin) em 2023 e 2024. A eleição ocorreu, por aclamação, em Assembleia Geral Ordinária, realizada nesta terça-feira (29/11) na nova sede da entidade, localizada na Avenida Prefeito José Juvenal Mafra, Nº 696, 1º andar, Centro.
Em sua fala o presidente eleito destacou a importância dos Núcleos Setoriais e do envolvimento dos diretores e associados nas ações da entidade. Verner também agradeceu o trabalho da sua atual diretoria, citando algumas ações realizadas nos últimos dois anos. Em sua nova gestão, o empresário pretende fortalecer, ainda mais, a relação com os associados, bem como com o poder público municipal. “Vamos trabalhar para desenvolver cada vez mais a nossa entidade, estabelecer novas parcerias e soluções empresariais, visando sempre o bem comum e o crescimento sustentável do setor”, destacou o presidente eleito.  
Diretores e associados acompanharam a eleição. A posse da nova diretoria deve ocorrer no início de 2023, juntamente com a inauguração oficial da nova sede. A chapa eleita para conduzir a gestão 2023/2024 conta com novos nomes em sua composição, confira:

DIRETORIA EXECUTIVA
Presidente: Verner Dietterle - (CAS Empreendimentos)
1º Vice-Presidente: Ricardo Muniz Ventura - (Advogado)
Secretária Geral: Jamille Vargas – (Construtora e Incorporadora Copas)
1º Secretário: Elton Carlos Sorato – (Borges Sorato Advogados Associados)
Tesoureiro Geral: Roger Teixeira da Silva – (Giba Auto Center)
1ª Tesoureira: Aline Camila Kuehn Wergutz – (Credifoz).

CONSELHO FISCAL – MEMBROS EFETIVOS
1ª Conselheira: Marilusa Mendes de Cordova Nascimento (Novaclin Odonto Atendimento)
2ª Conselheira: Debora Celine B. dos Santos (Expresso Contabilidade)
3º Conselheiro: Paulo Reiser (Blive in Pets).
CONSELHO FISCAL – MEMBROS SUPLENTES
1º Suplente: Mario Capella (Contabilidade Rafer)
2º Suplente: Misael Salvio Mateus (Mateus Móveis)
3ª Suplente: Ana Paula Peters (Peters Shop).

CONSELHO DELIBERATIVO
Presidente: Verner Dietterle (CAS Empreendimentos)
1ª Conselheira: Fernanda Talita Emmerich (Corretora de Imóveis)
2º Conselheiro: Jean Pablo Kumerow (Corretor de Imóveis)
3ª Conselheira: Claudia Mueller (Sicredi)
4º Conselheiro: João Goedert Gonçalves (JGoedert Imóveis)
5º Conselheiro: Rinaldo Luiz de Araújo (Navel Imóveis)
6º Conselheiro: Alexandre Pedro Dias (Inbrasul)
7º Conselheiro: Ruy Mena Barreto (Recicla Ambiental)
8º Conselheiro: Osmari de Castilho Ribas (Portonave)
9º Conselheiro: Juliano Perin (Subway)
10º Conselheiro: Jean Vargas (Instaladora Vargas)
11º Conselheiro: Luiz Fernando A. Junior (Safflog)
12º Conselheiro: Mateus Wergutz (Tintarte)
13º Conselheiro: Diogo André Miguel (Cadin Imóveis)
14° Conselheiro: Everton Ricardo de Almeida (Maga Empreendimentos)
15ª Conselheira: Cristiane Mathiola (Mathiola Imóveis)

Perfil do Presidente reeleito:
Verner Dietterle tem 59 anos de idade, é casado com a Sra. Marla Fengler Dietterle e pai da engenheira, Jamile Dietterle. O empresário da construção civil é natural de Ijuí no Rio Grande do Sul, mas atua em Navegantes há 29 anos como diretor da CAS Empreendimentos Ltda, tempo que também integra o quadro de associados da Acin. Verner Já foi diretor da entidade por várias gestões. Atualmente responde pela presidência da entidade e também integra o Núcleo da Indústria da Construção Civil da Acin, o qual já foi coordenador.  É associado ao Sinduscon Itajaí e membro do Instituto Renova Navegantes.

 

Da esquerda para direita: 1ª Tesoureira: Aline Camila Kuehn Wergutz, 1º Vice-Presidente: Ricardo Muniz Ventura, Presidente: Verner Dietterle, Secretária Geral: Jamille Vargas, 1º Secretário: Elton Carlos Sorato, Tesoureiro Geral: Roger Teixeira da Silva.

© Copyright 2000-2014 Editora Bittencourt