segunda, 08 de agosto de 2022
25/03/2021

Núcleo de Comércio Exterior ACII: 25 anos de trabalho


Fundado em março de 1996, o Núcleo de Comércio Exterior da ACII foi criado com o objetivo de integrar a comunidade portuária e do comércio exterior a fim de contribuir na geração de negócios, solução de problemas e buscar informações que envolvam o meio portuário de Itajaí e região.
Dentre as principais atividades, o grupo desenvolve ações que visam o incremento de negócios que passam pela cidade, reúne profissionais do município e região que trabalham diretamente ou prestam serviços à cadeia portuária integram este grupo, representa os importadores e exportadores e todas as demais empresas do complexo portuário de Itajaí e Navegantes, juntos aos intervenientes e anuentes do comércio exterior e promove palestras onde são oportunizadas às empresas que apresentem seus cases, gerando a troca de experiências e conhecimentos aos envolvidos em toda cadeia do comércio exterior.
Atuam na liderança do núcleo o coordenador, Christian Neumann, e o vice-coordenador, Marco Kamers.
Histórico
Desde o início de suas atividades, o núcleo realiza um trabalho itinerante junto às cidades catarinenses e alguns Estados para apresentar o complexo portuário de Itajaí, suas atividades, seu plano de expansão e prestação de serviços. 
Como parte de suas atividades, desenvolveu a realização de reuniões entre técnicos da Receita Federal e representantes dos órgãos públicos, recintos alfandegados e demais intervenientes do sistema de comércio exterior, com o objetivo eliminar os entraves nas operações de importação e exportação e agregar qualidade aos serviços oferecidos na região. 
A participação junto ao Conselho de Autoridade Portuária (CAP) também é uma das ações, um importante mecanismo de discussão abrangendo todos os segmentos envolvidos na atividade portuária, este conselho tem a competência de estabelecer normas de regulamentação e de procedimento para operação portuária. A ACII participa do Conselho de Autoridade Portuária (CAP), desta forma fortalecendo o trabalho do Núcleo de Comércio Exterior.
Entre as ações sociais do Núcleo de Comércio Exterior acontecia a famosa feijoada “Aportando Idéias”, que além de integrar pessoas, empresas e o poder público tem cunho social. 
Em dezembro de 2002, também aconteciam os Grupos de Trabalho (GTs) no âmbito da Câmara do Porto. GT – Relações Associativas; GT – Legislação; GT – Infra-estrutura Retroportuária; GT – Infra-estrutura Aquaviária e GT – Assuntos Aduaneiros e Transportes.
Pandemia e futuro 
Em 2020, com o surgimento da pandemia do coronavírus, o Núcleo de Comércio Exterior se adaptou aos meios digitais, realizando suas reuniões em ambiente virtual e buscando temas relativos aos impactos da Covid-19. Vários encontros foram realizados nesta plataforma com pautas diversas como as mudanças na legislação e soluções de câmbio em tempos de pandemia, entre outros.
Ainda assim, o coordenador do núcleo não desperdiçou oportunidades e, no ano passado, estreitou laços com o cônsul adjunto da Argentina em Santa Catarina, Lisandro Parra, que visitou a ACII, conhecendo também o presidente, Mário Cesar dos Santos. O intuito do encontro foi iniciar tratativas para realização de evento entre importadores e exportadores dos dois países para incrementar negócios, especialmente junto às províncias de Mendonza e Santa Fé. 
Apesar do momento delicado, o Núcleo de Comércio Exterior segue com uma gestão eficiente e focada, sempre superando desafios e atuante junto aos órgãos técnicos do município e região.

Foto é com o cônsul da Argentina (citado no texto. Foto: Mari Pezzini)



Blog

Países do ‘BRICS’ debatem como alavancar qualificação para indústria 4.0

A qualificação de profissionais para ocupações cada vez mais tecnológicas é foco dos trabalhos de um grupo de especialistas do Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul, o chamado BRICS. A participação brasileira é liderada pela Confederação Nacional da Indústria, por meio do SENAI, a partir de indicação dos ministérios da Casa Civil e da Educação. O objetivo é criar estratégias para promover a capacitação padronizada entre os países.

“Somos reconhecidos por aliar a teoria e a prática. As discussões que estão em curso no grupo formado pelos países do BRICS vêm sendo amplamente abordadas em nossas formações. Não é uma agenda apenas de entidades privadas, ela exige políticas públicas mais robustas, com respaldo técnico e competência para guiar os debates”, destaca o diretor-regional do SENAI, Fabrizio Machado Pereira.

São oito grupos de trabalho, sendo um deles voltado para as áreas de inteligência artificial, machine learning e big data, coordenado pelo professor Valério Junior Piana, do Centro Universitário do SENAI em Chapecó. “Os grupos debatem temas como a falta de profissionais qualificados para atuar com as tecnologias da indústria 4.0 e as habilidades fundamentais para o futuro do trabalho, não apenas na indústria, mas também em outras áreas”, afirma Piana. “Estamos focando nas ocupações mais tecnológicas e o que fazer diante da falta de profissionais”, acrescenta.

Piana, que no SENAI coordena os cursos de graduação e pós-graduação em TI, cita, principalmente, a falta de profissionais qualificados na área de tecnologia para atuar com programação, automação e outros setores. O grupo de trabalho do BRICS atua com base no relatório do Fórum Econômico Mundial, que elenca habilidades que as pessoas precisam ter ou desenvolver, como criatividade, solução de problemas complexos, trabalho em equipe, entre outras, incluindo as habilidades e conhecimentos técnicos.

O grupo está elaborando uma proposta de esforço conjunto dos países para capacitar a força de trabalho. “Algumas alternativas que estamos sugerindo são a implementação de laboratórios-modelo, equipados para desenvolver as capacidades necessárias para o mundo do trabalho, e cursos de graduação e pós-graduação com currículos padronizados entre os países”, relata Piana.

O SENAI é referência mundial em qualidade de ensino. Capacita os trabalhadores da indústria por meio de educação profissional e superior, consultorias especializadas e serviços de inovação voltados ao desenvolvimento e à competitividade industrial. A instituição está presente em todos os estados brasileiros.

© Copyright 2000-2014 Editora Bittencourt