quinta, 11 de agosto de 2022
15/01/2021

Super Nosso expande com parceria de lojas de conveniência do futuro


Abastecer os lares, disponibilizando produtos de alta qualidade, como, onde e quando o cliente quiser.  Esse é o propósito da rede de supermercados Super Nosso, que acaba de dar mais um passo no cumprimento desse propósito, ao firmar uma parceria com a Be Honest, um modelo inovador de mercado de conveniência, já presente em diversos condomínios de Belo Horizonte.

Com o propósito de disseminar a honestidade, três jovens se uniram para criar um mercado de conveniência especial. Diferente de tudo o que já foi visto com relação às lojas do futuro, o honest market, ou “mercado da honestidade” - não tem funcionário, catraca, câmeras de reconhecimento facial ou qualquer outra forma de controle e, pasmem, funciona. Tamanha visão de mercado e força de propósito chamaram atenção do Grupo Super Nosso, que acaba de adquirir uma participação na Be Honest.

Aberta em junho deste ano, durante a pandemia do novo Coronavírus, a primeira Be Honest foi instalada em um condomínio em Belo Horizonte/MG. Hoje, já são mais de 50 unidades, sempre em condomínios residenciais e ofertando cerca de 300 itens de conveniência, como alimentos, higiene e limpeza. Marcelo Carneiro, um dos jovens empreendedores da Be Honest, conta que o sistema de controle de cada uma das lojas é acoplado a um totem de cartão de crédito/débito no qual os clientes podem escolher os produtos e realizar a compra sem nenhuma fiscalização, e sem ter que sair nem mesmo do próprio condomínio para resolver suas principais necessidades de abastecimento doméstico. 

“Esse mesmo sistema gera um inventário sobre o estoque mínimo de cada produto. E, por meio desse relatório, fazemos o chamado "cálculo de honestidade" para ver qual foi a diferença entre o inventário e o real estoque do local. Essa diferença é considerada um desvio”, explica. Segundo Carneiro, a maioria das pessoas paga corretamente, “mas, se alguém não pagar, a responsabilidade é inteiramente nossa, de atuar mais fortemente em alguma unidade que eventualmente tenha um índice maior de desonestidade”, garante.

 

 E por que o Grupo Super Nosso se encantou pelo projeto? 

“Sentimos que havia total sintonia e sinergia entre a proposta da Be Honest e a nossa. Queremos que nossa curadoria de produtos de alta qualidade possa chegar cada vez mais facilmente e da forma mais acessível para o máximo de clientes. A história do Super Nosso sempre foi marcada pela inovação e transformação, e é isso que nos permite a honra de abastecer os lares de milhares de famílias, disponibilizando produtos como, onde e quando o cliente quiser. Queremos ser solução, rápida, confiável e descomplicada. Sem dúvida, a Be Honest concretiza ainda mais nossa proposta”, afirma Rodolfo Nejm, vice-presidente do Grupo Super Nosso.

 

Multicanalidade

Nejm destaca ainda que a nova parceria trará, para os atuais clientes dos condomínios, toda a expertise do grupo. “Inovamos trazendo o primeiro e-commerce de supermercado para Belo Horizonte. Já temos o Clique e Retire, somos omnichannel e temos formatos e tamanhos diferentes de loja - não só as lojas Super Nosso, com mais de 12 mil variedades de produtos, como também o Momento Super Nosso, em torno de 5 mil itens”, diz.

“Portanto, já é da nossa expertise oferecer a seleção de uma variedade de produtos mais adequada para cada canal e cada momento de compra, conforme as necessidades do consumidor. E é isso que pretendemos agregar com nossos novos parceiros: saber escolher os melhores e mais adequados produtos para solucionar as necessidades dos nossos clientes nas lojas de conveniência Be Honest”.

Segundo o vice-presidente, não serão economizados esforços para se fazer uma curadoria única, “pois acreditamos que isso é o segredo da experiência de compra”, finaliza.

 

2021

O Super Nosso começará a atuar de forma colaborativa com os fundadores da Be Honest a partir de janeiro de 2021, agregando know how de curadoria de produtos, gestão, logística de abastecimento, planograma das restritas gôndolas dos mercados, entre diversos outros aspectos. “Acreditamos que marcas fortes são aquelas que inspiram algo maior - e como parceiros, ficamos empolgados não só em agregar solução de abastecimento e levar qualidade para as famílias, mas também estimular a população a exercer um valor tão nobre quanto o de autorresponsabilidade, através do conceito de compras e pagamento autosserviço oferecido pela Be Honest. Realmente, algo muito forte e inspirador, uma verdadeira evolução para o varejo”, destaca Rafaela Nejm, sócia do Grupo Super Nosso.

Já Marcelo Carneiro ressalta: “Temos como cultura que o mais importante para nós é o aprendizado. Costumamos dizer que nosso negócio é uma escola sem professores, na qual nós mesmos precisamos abrir o livro e resolver os desafios que vierem pela frente. Agora, pela primeira vez em muitos meses, teremos um professor para nos dar uma aula sobre gestão, varejo e simplicidade.”

 

Sobre o Grupo Super Nosso

O Grupo Super Nosso possui 51 lojas físicas em Belo Horizonte e na região metropolitana. São 21 unidades Super Nosso, que é a rede de supermercados gourmet; 11 lojas de proximidade, lojas menores com foco em conveniência, com a bandeira Momento Super Nosso e 19 atacarejos com a marca Apoio Mineiro. Além do Super Nosso em Casa, canal de vendas online do Super Nosso e o Apoio Entrega, canal de vendas online do Apoio Mineiro.

Também integram o Grupo uma indústria, a Raro Alimentos, que manipula carnes e frios com SIF para atender às lojas do Grupo, e uma infraestrutura completa de panificação, que produz pães artesanais e alimentos prontos de marca própria para venda nas lojas. E a distribuidora especializada Decminas, que atende mais de 800 municípios mineiros. Ao todo, são mais de 8 mil funcionários trabalhando para atender com excelência e oferecer uma ótima experiência de compra. A empresa é uma das maiores do setor varejista em Minas Gerais e ocupa a 15ª posição no ranking nacional da Abras de maiores empresas supermercadistas no Brasil.



Blog

Países do ‘BRICS’ debatem como alavancar qualificação para indústria 4.0

A qualificação de profissionais para ocupações cada vez mais tecnológicas é foco dos trabalhos de um grupo de especialistas do Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul, o chamado BRICS. A participação brasileira é liderada pela Confederação Nacional da Indústria, por meio do SENAI, a partir de indicação dos ministérios da Casa Civil e da Educação. O objetivo é criar estratégias para promover a capacitação padronizada entre os países.

“Somos reconhecidos por aliar a teoria e a prática. As discussões que estão em curso no grupo formado pelos países do BRICS vêm sendo amplamente abordadas em nossas formações. Não é uma agenda apenas de entidades privadas, ela exige políticas públicas mais robustas, com respaldo técnico e competência para guiar os debates”, destaca o diretor-regional do SENAI, Fabrizio Machado Pereira.

São oito grupos de trabalho, sendo um deles voltado para as áreas de inteligência artificial, machine learning e big data, coordenado pelo professor Valério Junior Piana, do Centro Universitário do SENAI em Chapecó. “Os grupos debatem temas como a falta de profissionais qualificados para atuar com as tecnologias da indústria 4.0 e as habilidades fundamentais para o futuro do trabalho, não apenas na indústria, mas também em outras áreas”, afirma Piana. “Estamos focando nas ocupações mais tecnológicas e o que fazer diante da falta de profissionais”, acrescenta.

Piana, que no SENAI coordena os cursos de graduação e pós-graduação em TI, cita, principalmente, a falta de profissionais qualificados na área de tecnologia para atuar com programação, automação e outros setores. O grupo de trabalho do BRICS atua com base no relatório do Fórum Econômico Mundial, que elenca habilidades que as pessoas precisam ter ou desenvolver, como criatividade, solução de problemas complexos, trabalho em equipe, entre outras, incluindo as habilidades e conhecimentos técnicos.

O grupo está elaborando uma proposta de esforço conjunto dos países para capacitar a força de trabalho. “Algumas alternativas que estamos sugerindo são a implementação de laboratórios-modelo, equipados para desenvolver as capacidades necessárias para o mundo do trabalho, e cursos de graduação e pós-graduação com currículos padronizados entre os países”, relata Piana.

O SENAI é referência mundial em qualidade de ensino. Capacita os trabalhadores da indústria por meio de educação profissional e superior, consultorias especializadas e serviços de inovação voltados ao desenvolvimento e à competitividade industrial. A instituição está presente em todos os estados brasileiros.

© Copyright 2000-2014 Editora Bittencourt