domingo, 22 de setembro de 2019
03/04/2017

Perda de competitividade


A primeira fase custará ao Estado R$ 105 milhões, obtidos através de um financiamento do BNDES, e garantirá a entrada de navios de até 335 metros nos portos locais. A segunda etapa deve abrir espaço para gigantes de até 366 metros de comprimento.

A nova bacia de evolução é considerada a mais importante obra de infraestrutura do Complexo Portuário do Itajaí. Quando foi anunciada, ainda em 2013, previa-se que a primeira etapa estaria pronta no ano seguinte, sob pena de um prejuízo mensal de R$ 60 milhões - que só não se confirmou porque que a retração no comércio exterior em todo o mundo atrasou a migração de navios maiores para a América do Sul. Mas com a retomada gradativa do comércio internacional, em breve esses navios devem trafegar pela costa brasileira.

Os trabalhos começaram, oficialmente, um ano atrás. Desde então, os terminais locais já perderam a oportunidade de competir por escalas por falta de adequação dos acessos.

 



© Copyright 2000-2014 Editora Bittencourt