domingo, 22 de setembro de 2019
28/03/2017

De tudo um pouco


Enquanto no mezanino do Plenário os motoristas autônomos reivindicavam melhores preços para os transportes em Itajaí por meio de faixas e cartazes, no plenário trabalhadores portuários, transportadores, sindicalistas e usuários bombardearam alguns membros da mesa de trabalhos.

Foram vítimas da ira dos presentes o deputado federal Mauro Mariani pelo fato de ser do partido do prefeito e presidente da República e o Porto de Itajaí estar “sem ver navios” por falta de investimentos federais -mas mesmo assim não perdeu a oportunidade de fazer seu marketing pessoal - e o empresário Francisco Ramos, por ter feito parte da “Operação Influenza”, ação da Polícia Federal que investigou atos ilícitos no Porto de Itajaí na antiga gestão do prefeito Volnei Morastoni. Amilton Rocha foi vítima da metralhadora dos trabalhadores portuários porque o armador Maersk, do mesmo controlador da APMT, opera na Portonave, hoje principal concorrente do Porto de Itajaí.

As operações com soja foram também taxadas como interesse de poucos, principalmente daqueles de advogam em causa própria, pois só farão mal à cidade. Colocação que gerou a irritação de algumas pessoas e arrancou aplausos da plateia. 



© Copyright 2000-2014 Editora Bittencourt