quarta, 18 de setembro de 2019
20/03/2017

Portos devem sentir o impacto da operação “carne fraca”


Os cancelamentos ou restrições às compras de carnes brasileiras pela União Europeia, China, Coreia do Sul e Chile, mesmo que temporárias, deve impactar significativamente nos números de março das exportações dos portos catarinenses, mais especificamente, dos portos e terminais que formam o Complexo Portuário do Itajaí-Açu e do terminal de uso privado Porto Itapoá.

Para se ter uma ideia, nos meses de janeiro e fevereiro os três destinos absorveram 30,26% das exportações catarinenses, ou seja, o equivalente a US$ 180,92 milhões. De montante, mais de 40% é decorrente da exportação de algum tipo de carne ou derivado para esses países.

Já para o Porto de Itajaí (AOPM Terminals e Portonave) e Itapoá, os embarques de carnes e derivados representam a maior fatia dos embarques.

Precisamos torcer 



© Copyright 2000-2014 Editora Bittencourt