quinta, 14 de novembro de 2019
06/03/2017

Sem definição para a paralisação dos caminhoneiros


Após quatro horas de acaloradas discussões entre motoristas que atuam no transporte de contêineres para os portos de Itajaí, Imbituba, Itapoá e Navegantes, dirigentes do Sindicato dos Transportadores Autônomos de Contêineres e de Cargas em Geral de Itajaí e Região (Sintracon) e representantes de empresas que contratam serviços de transportes para contêineres cheios e vazios ainda não haviam chegado a uma conclusão com relação aos destinos do movimento de paralisação dos motoristas que transportam contêineres cheios e vazios.

Segundo informações extraoficiais, foi criado um grupo de negociação composto por representantes dos sindicatos laboral e patronal e representantes de empresas contratantes, para que se possa chegar a um acordo no prazo de 36 horas.

Enquanto isso, entre 75% e 80% da frota ligada ao transporte portuário deve continuar parada, mas respeitando liminar que proibiu os manifestantes de impedir a circulação de caminhões com cargas em direção aos portos. No entanto, novos acertos podem surgir a qualquer momento.  

 



© Copyright 2000-2014 Editora Bittencourt