sexta, 20 de setembro de 2019
02/02/2017

Disparidade na movimentação dos portos de SC


Dos portos catarinenses, apenas o Complexo Portuário do Itajaí apresentou bons resultados em janeiro, com avanço de 9%. No entanto, cerca de 80% das cargas operadas no Complexo passaram pelo terminal privativo Portonave, em Navegantes. Dos 91,1 mil TEUs (Twenty-foot Equivalen Unit - medida internacional equivalente a um contêiner de 20 pés), 74,31 mil TEUs foram operados em Navegantes. Os congelados - aves e suínos -  responderam pela maior parcela da pauta de exportações. Já os desembarques foram puxados pelos produtos mecânicos e eletrônicos. Em contrapartida, o mês não foi tão bom para os portos de Imbituba e São Francisco do Sul, ambos com gestão do Estado.

O porto de Imbituba registrou uma retração significativa de 43% em suas operações no período. Mas o recuo já era previsto, uma vez que a safra de grãos ficou aquém do esperado. Todas as expectativas agora ficam para março, com os embarques de soja. Só esse produto deve acrescentar 600 mil toneladas às operações no Sul de Santa Catarina. Os gestores do porto esperam fechar o ano com 5,6 milhões de toneladas transportadas.

Para São Francisco do Sul a realidade não foi diferente. O porto registrou em janeiro um recuo de 36% na movimentação de cargas. Os graneis respondem pela maior fatia das operações em São Francisco, que também foi impactado pela safra agrícola. Entre os destaques positivos, houve crescimento de 33% na exportação de bobinas de aço e nas importações de chapas de aço.



© Copyright 2000-2014 Editora Bittencourt